Tudo sobre taxa de administração de previdência privada

Home / Tudo sobre taxa de administração de previdência privada

A previdência privada é um dos investimentos mais usados pelos brasileiros que buscam acumular patrimônio financeiro. Além de ser uma ótima opção para complementar ou até sustentar a aposentadoria, é uma aplicação do tipo Renda Fixa que oferece segurança e valorização estável ao investidor.

Os planos de previdência privada são oferecidos por instituições financeiras autorizadas, como bancos e seguradoras, e essas empresas administram o plano escolhido de forma que o dinheiro aplicado siga valorizando em um fundo de investimentos.

É justamente neste último ponto que pode estar a maior diferença de rentabilidade entre uma previdência privada e outra: o quanto a instituição financeira responsável cobra pela taxa de administração da previdência. Todos os planos cobram uma taxa de administração, porém a porcentagem de desconto (a alíquota) varia muito – e alguns planos exigem até outras taxas, como de carregamento, de saída e de performance. A cobrança de muitas taxas pode acabar anulando um rendimento que a, princípio, era atraente.

O que é a taxa de administração de previdência privada

A taxa de administração da previdência funciona como uma compensação à instituição financeira pelo serviço de gerir o fundo onde o dinheiro do investidor foi aplicado. Apesar do desconto ser diluído e realizado mensalmente, o cálculo da cobrança é feito sobre uma taxa percentual anual – 1% ao ano, 3% ano, 6% ao ano. Todos os planos de previdência privada cobram a taxa de administração, que incide sobre todo o montante que foi aplicado. É fundamental, portanto, comparar os valores exigidos por cada plano no momento de escolher o seu.

Como funciona a cobrança da taxa de administração

A taxa de administração da previdência privada é uma taxa percentual fixa que é definida por cada instituição financeira – os planos costumam cobrar entre 1% e 6% ao ano sobre o valor total que está aplicado. Essa taxa percentual é dividida pelos 365 dias do ano para que a cobrança seja realizada de forma diluída, mensalmente. Todas as instituições financeiras que oferecem previdência privada exigem a taxa de administração.

O investidor que aplicou um valor inicial de R$ 20 mil em um plano de previdência privada que cobra taxa de administração de 2% ao ano, por exemplo, terá R$ 400 descontados pela instituição financeira em um ano. Essa cobrança é fixa e atrelada ao valor investido, independente do rendimento da previdência – o dinheiro arrecadado é uma recompensa à instituição financeira por administrar os fundos onde os planos de previdência são aplicados para renderem mais.

Como a taxa de administração impacta no rendimento

A taxa de administração tem um enorme impacto sobre o rendimento da previdência privada: se for muito elevada, ela diminui consideravelmente a rentabilidade líquida do investimento.

Para calcular a rentabilidade líquida, diminua a rentabilidade bruta do plano de previdência pela porcentagem cobrada em taxa de administração; um fundo com ótima rentabilidade de 10% e taxa abusiva de 6%, por exemplo, resultaria em uma rentabilidade líquida de apenas 4%.

Pesquisar as opções no mercado que oferecem as menores taxas de administração – ou as melhores relações rendimento x taxas – é fundamental para qualquer investidor que está iniciando um plano de previdência privada.

Enquanto taxas de administração de 1% ou 2% são bem aceitáveis, cobranças de 5% ou 6% podem impactar e limitar demasiadamente qualquer rendimento. Compare as ofertas disponíveis e consulte especialistas no mercado financeiro para tirar qualquer dúvida antes de escolher a sua previdência.

Dúvidas sobre previdência privada? Acesse o site Sua Previdência e fique bem informado! 

About Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *