Resgate do Itaú Previdência: dicas para planejar e evitar prejuízos

Home / Resgate do Itaú Previdência: dicas para planejar e evitar prejuízos

Resgate do Itaú Previdência

O resgate do Itaú Previdência deve ser planejado com cuidado para evitar prejuízos. Como em qualquer plano de previdência privada, é preciso deixar o dinheiro aplicado pelo máximo de tempo possível para aproveitar os benefícios fiscais — e um saque antes da hora pode ter altos custos.

Por isso, antes de retirar dinheiro da sua previdência privada, é preciso considerar todos os custos, impactos na rentabilidadee condições da seguradora. Nos próximos tópicos, você vai entender como planejar o resgate do Itaú Previdência e se vale a pena resgatar esse tipo de investimento.

Leia até o fim antes de confirmar a operação.

Dicas para o resgate do Itaú Previdência

Fazer um resgate do Itaú Previdência é uma decisão complexa, que deve ser tomada após considerar todos os custos, impactos no patrimônio e condições de retirada antes do prazo.

Veja algumas dicas para planejar essa operação.

Planeje o resgate com antecedência

Se você pretende fazer um resgate do Itaú Previdência, é melhor se planejar com bastante antecedência. Isso porque a retirada de qualquer quantia da previdência privada antes do prazo envolve riscos, já que se trata de um investimento de longo prazo.

Por isso, você terá que analisar com calma quanto precisa sacar, quanto terá que pagar de Imposto de Renda e outros custos, qual será o impacto na rentabilidade do seu patrimônio para o futuro, entre outras questões que exigem cuidado.

O ideal é programar o resgate somente para a fase de usufruto, quando você terá a opção de contratar uma renda ou realizar o resgate total para administrar seu patrimônio.

Escolha o plano certo para seus objetivos de resgate

Outro ponto importante na previdência privada é escolher um tipo de plano ou regime de tributação mais vantajoso para seus objetivos de resgate.

O ideal é manter o dinheiro no fundo o máximo de tempo possível para aproveitar os benefícios fiscais, mas também é possível se planejar para pagar menos imposto nos resgates.

Por exemplo, se você optar pela tabela regressiva, pagará apenas 10% de Imposto de Renda sobre os resgates após completar 10 anos de investimento (as alíquotas diminuem em função do tempo de aplicação).

Agora, se você planeja resgatar valores mais baixos, que ficam na faixa isenta do IR, a tabela progressiva pode valer a pena.

Fique atento à tributação no VGBL e PGBL

Ainda sobre custos do resgate do Itaú Previdência, é preciso ficar atento às diferenças de tributação nos planos VGBL e PGBL. No VGBL, o IR é descontado somente sobre os rendimentos, e não sobre o total aplicado no fundo.

Já no PGBL, o Imposto de Renda incide sobre o valor total aplicado (capital investido + rentabilidade). Em contrapartida, esse tipo de plano permite o abatimento de até 12% das contribuições na declaração anual do IR.

Logo, dependendo do seu tipo de plano, o resgate pode sair caro para o bolso.

Antes de fazer o resgate do Itaú Previdência

É melhor pensar duas vezes antes de fazer o resgate do Itaú Previdência, pois os custos podem ser mais altos do que em outros investimentos.

Não confirme a operação antes de ler estas dicas:

Avalie o impacto no seu patrimônio

Como vimos, o resgate do Itaú Previdência pode ter um impacto significativo no seu patrimônio e perspectivas de rendimento em longo prazo. Por isso, antes de confirmar a operação, calcule todos os custos, verifique o desempenho do seu plano e decida se vale a pena retirar dinheiro agora — e, possivelmente, ter prejuízo — para receber menos lá na frente.

Veja se não há investimentos mais líquidos para resgatar

O resgate do Itaú Previdência deve ser seu último recurso em caso de imprevistos financeiros, pois é um dos tipos de investimentos menos recomendados para retirada antes do prazo.

Antes de tomar essa decisão, verifique se não há investimentos com maior liquidez aos quais você possa recorrer, como um título do Tesouro Direto, CDB ou LCI/LCA (geralmente, usados para a reserva de emergência).

Confira as taxas e condições do resgate

Por fim, é fundamental conferir quais taxas podem ser cobradas no resgate do Itaú Previdência, assim como prazos de carência que precisam ser cumpridos antes do saque.

Como fazer o resgate do Itaú Previdência

O processo de resgate do Itaú Previdência é muito simples, uma vez que você tenha decidido fazê-lo, mesmo com todas as ressalvas.

Veja quais canais utilizar.

Pelo site Itaú (para correntistas)

Os correntistas do Itaú podem fazer o resgate a qualquer momento pelo site do banco. Basta fazer login com agência, conta e senha eletrônica, e navegar até a opção Previdência> Resgates> Cancelamentos e Solicitação de resgate.

Pelo site Itaú com senha (não correntistas)

Para não correntistas que possuem senha eletrônica (planos empresariais), basta acessar o site do Itaú, clicar em Opções de acesso e em seguida Mais acessos> Previdência> Não correntista. Depois, o caminho é: Outros produtos> Previdência> Resgatar e cancelar> Solicitar resgate.

Pelo site Itaú sem senha (clientes em geral sem senha)

Por fim, os clientes não correntistas e correntistas sem senha eletrônica deverão fazer o download do formulário de Solicitação de Resgate em Planos de Previdência Itaú.

O documento deverá ser impresso, preenchido, digitalizado e enviado para: resgateprevidencia@itau-unibanco.com.br junto à foto do RG ou CPF e um comprovante de endereço atualizado.

Entendeu como fazer o resgate do Itaú Previdência e quais cuidados tomar? Agora, avalie se é realmente necessário retirar dinheiro do seu plano de previdência. Para saber mais sobre o assunto, acesse os demais conteúdos do nosso blog.

About Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *