Resgate da Caixa Previdência: dicas e passo a passo

Home / Resgate da Caixa Previdência: dicas e passo a passo

Resgate-da-Caixa-Previdência

Quem investe em um plano de previdência geralmente está pensando na aposentadoria, aquisição de um imóvel ou na faculdade do filho. Mas se aparece um imprevisto ou surge uma boa oportunidade pelo caminho, é possível alterar o curso do seu investimento.

Se sua decisão for pelo resgate, fique atento aos custos (taxas e Imposto de Renda) e às implicações da retirada. Além disso, observe as possibilidades de resgate (total e parcial) e de migração para outro fundo por meio da portabilidade. Quer saber mais sobre o tema? Confira a seguir as dicas e o passo a passo para seu resgate da Caixa Previdência.

Como planejar o resgate da Caixa Previdência

O resgate da Caixa Previdência é um saque, que pode ser total ou parcial. Se for total, encerra o plano previdenciário.

Antes de decidir, é importante que você observe o prazo de carência, a taxa de carregamento e como será cobrado o Imposto de Renda.

Taxa de carregamento

A Caixa Seguradora não cobra taxa de carregamento de entrada, ou seja, sobre os aportes feitos na fase de acumulação. Entretanto, se você resgatar seu plano antes de três anos, a taxa de saída pode chegar a 5% sobre o valor líquido total.

O percentual varia de acordo com o tempo e o quanto você contribuiu. Para os planos com três anos ou mais, a taxa deixa de ser cobrada.

Imposto de Renda

A questão tributária também tem papel fundamental na hora do resgate da Caixa Previdência. Há duas tabelas de cobrança do Imposto de Renda: a progressiva e a regressiva.

Tabela regressiva

Nesse caso, a cobrança do Imposto de Renda no resgate vai ser maior para as aplicações mais novas e menor para as mais antigas, conforme tabela a seguir.

Tempo de investimentoAlíquota de IR
Até 2 anos35%
De 2 a 4 anos30%
De 4 a 6 anos25%
De 6 a 8 anos20%
De 8 a 10 anos15%
Acima de 10 anos10%

Esse é um regime de tributação, portanto, que privilegia quem deixa o dinheiro investido por mais tempo. Caso tenha escolhido a tributação regressiva e pretenda sacar seu investimento no curto prazo, o Leão vai abocanhar uma fatia bem maior do seu dinheiro.

Observe que, nos primeiros seis anos de contribuição, a tributação supera outros tipos de aplicações financeiras, cujo teto é de 22,5%.

Tabela progressiva

No regime progressivo, o tempo não influencia na alíquota do Imposto de Renda, mas o valor do resgate, sim.

A regra é a mesma aplicada aos salários: 15% de IR fica retido na fonte e o ajuste anual é feito com base na tabela da Receita Federal, que começa em zero e vai a 27,5%.

Base de cálculo anualAlíquota
Até R$ 22.847,76Isento
De R$ 22.847,77 a R$ 33.919,807,5%
De R$ 33.919,81 a R$ 45.012,6015%
De R$ 45.012,61 a R$ 55.976,1622,5%
Acima de R$ 55.976,1627,5%

O regime progressivo, portanto, é mais interessante para quem não sabe ao certo em quanto tempo precisará do dinheiro.

Como fazer o resgate da Caixa Previdência

O resgate da Caixa Previdência deve ser bem planejado. A própria Caixa afirma que investimento em previdência deve buscar objetivos de três a cinco anos em diante.

Na prática, quem mais se beneficia da previdência privada é o investidor que opta pelo regime progressivo e deixa o dinheiro rendendo por mais de dez anos, com alíquota do Imposto de Renda de 10% (a menor de todo o mercado financeiro).

Mas, se depois de analisar os custos e sua situação, você decidiu solicitar o resgate, o procedimento é o seguinte:

  • Resgates até R$ 10.000,00 devem ser solicitados pelo Serviço ao Cliente.
  • A partir de R$ 10.000,01, por meio de Central de Serviços e Relacionamento: 3004 4000 (Capitais e Regiões Metropolitanas) ou 0800 702 4000 (demais regiões).
  • Resgates de planos empresariais — parte participante: Central de Serviços e Relacionamento: 3004 4000 Capitais e Regiões Metropolitanas) ou 0800 702 4000 (demais regiões do Brasil).
  • Resgates de planos empresariais — parte empresa: em uma agência da Caixa.

Vale a pena fazer o resgate da Caixa Previdência?

A resposta é: depende. Como você pôde perceber, a avaliação precisa ser caso a caso.

Se for um plano recente, sobre o qual será cobrada taxa de saída, talvez seja melhor buscar outra solução. Dependendo da tabela escolhida (regressiva ou progressiva), a tributação também pode corroer bastante o resultado.

Se você estiver precisando do dinheiro e não tiver reserva de emergência, tudo bem — não há saída.

Mas, se busca alternativas mais rentáveis, a própria Caixa Seguradora tem fundos de investimento previdenciário que contemplam diferentes perfis.

Há fundos mais conservadores, que aplicam em ativos de renda fixa, principalmente Títulos Públicos. E os mais arrojados, que adicionam um percentual de ações.

Você pode fazer a portabilidade interna, entre fundos da própria Caixa, ou migrar seu plano para outra instituição financeira, sem precisar pagar Imposto de Renda.

A dica é: pesquise e se informe bastante antes de decidir. Afinal, trata-se do seu dinheiro.

Gostou do artigo? Então você pode se interessar por esse aqui também: Santander Previdência é um bom investimento? Tire suas dúvidas.

About Author

1 Comment
  1. Anderson Camargo

    Gostei do site,
    Seus artigos ajudam muito pode ter certeza disso.
    Esta de parabéns.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.