Conheça a renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores

Home / Conheça a renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores

A renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores é a previdência que garante segurança para toda a família. Quer entender como? De forma simples, ao se aposentar, o titular recebe uma renda pelo resto da vida e, caso venha a falecer, ela é transferida para o cônjuge. E, em caso de falecimento do parceiro (a), o valor é repassado aos filhos menores. 

Por ser um investimento em longo prazo, a contratação desse tipo de renda vitalícia requer muito planejamento. Acompanhe o nosso artigo para saber quais são as regras do benefício, como funciona e quais são as principais vantagens e desvantagens que ela oferece ao beneficiário e à sua família. 

Contratação da renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores 

Com a renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores, o titular recebe uma renda mensal vitalícia após a aposentadoria, a partir da data da saída estabelecida em contrato. 

Caso ele venha a falecer durante o recebimento, um percentual da renda continuará sendo pago mensalmente para o cônjuge até a sua morte. Contudo, se o cônjuge falecer, os filhos ou menores indicados no plano receberão um percentual da renda até completarem a idade estipulada em contrato, entre 18 e 24 anos. 

Por outro lado, se o cônjuge falecer antes do titular do plano, a renda será destinada para os filhos ou menores de idade. Contudo, o repasse mensal pode ser extinto ou alterado nas seguintes situações: 

  • Após a morte do titular e do cônjuge, o menor mais jovem atingir a idade da maioridade estipulada no plano;
  • Sempre que um dos menores alcançar a maioridade ou falecer, o valor da renda é rateado entre os outros beneficiários restantes;
  • Se durante o pagamento da renda o último beneficiário menor falecer, o pagamento é feito para os sucessores legítimos até a data em que o menor falecido chegaria à maioridade. 

Como investir na aposentadoria? Confira aqui como investir de acordo com sua renda.

O que fazer na contratação? 

Os bancos, seguradoras e corretoras oferecem planos de renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores. No entanto, antes da contratação, é recomendado avaliar a reputação da instituição no mercado. Também é indicado comparar os valores das taxas, impostos e condições de pagamento. 

A contratação desse tipo de plano é simples e consiste basicamente na escolha do fundo de aposentadoria de acordo com o seu perfil e necessidades na assinatura da proposta. Em geral, o documento contém informações como:

  • Tipo de plano da aposentadoria: PGBL ou VGBL;
  • Escala progressiva ou regressiva do Imposto de Renda;
  • Nome dos beneficiários e fração das reservas de cada um;
  • Data da saída;
  • Valor mensal da contribuição da aposentadoria;
  • Taxa da previdência privada;
  • Forma de pagamento das contribuições: depósito bancário ou boleto;
  • Data da cobrança mensal.

A contratação de uma previdência privada deve ser planejada com cuidado. Afinal, trata-se de uma aplicação que requer mais de 10 anos de investimento. Além disso, o montante será uma fonte de renda para o contratante e sua família por um longo período. 

Por isso, antes da contratação, é recomendado consultar um especialista em finanças. Esse profissional vai analisar o perfil financeiro de cada um, a renda e a expectativa de futuro, para indicar os melhores fundos.  

Vantagens da renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores

Contratar um plano de renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores oferece vantagens para o contratante e sua família. Os benefícios iniciam ainda na fase de acumulação da previdência. 

Nesse período, o contratante adquire o hábito de poupar e investir mensalmente um valor na previdência. Essa “poupança forçada” vai garantir uma aposentadoria tranquila no futuro. Dessa forma, é possível oferecer uma melhor qualidade de vida e saúde para o contratante e seus familiares. 

A renda vitalícia também oferece estabilidade financeira para a família no caso do titular. Nessa situação, o cônjuge e provavelmente os filhos até 24 anos receberão automaticamente o valor da renda durante o período estipulado em contrato. É uma vantagem para quem ainda tem filhos menores de idade. 

Outra vantagem da previdência privada é que a renda é transmitida para os beneficiários, sem nenhum tipo de tributação devido ao falecimento do titular. Os impostos são cobrados apenas no resgate da reserva acumulada. 

Esse tipo de previdência ainda oferece benefícios fiscais no IR, ou seja, geralmente quem resgata o valor da aposentadoria após 10 anos paga uma alíquota menor de IR, de acordo com a tabela progressiva. Além disso, ao longo dos anos, a seguradora investe o valor aplicado em fundos que valorizam o montante do titular. 

Garanta seu futuro: saiba qual é a melhor previdência privada.

Desvantagens da renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores

Antes de contratar uma renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores, é importante analisar os contras desse tipo de aposentadoria. Dessa forma, você poderá decidir se ela é a melhor opção para o seu futuro e da sua família. 

A principal desvantagem é o valor da renda reduzido. Isso acontece porque a aposentadoria abrange menores de idade, com expectativa de vida mais alta. Ou seja, os rendimentos serão pagos por mais tempo e ainda transferidos para pessoas diferentes. 

Esses fatores são calculados com base na tábua atuarial, que é uma referência aproximada da expectativa de vida de cada pessoa. A tábua é usada pelas seguradoras para determinar a renda de cada titular do plano de previdência. Na prática, quanto mais jovem for o segurado, menor é o valor da renda que será pago. 

Para aproveitar os benefícios fiscais da renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores, é interessante resgatar o valor após 10 anos, no mínimo. Caso contrário, será necessário pagar alíquota alta de IR. Portanto, é um investimento que deve ser feito por quem não precisa dessa fonte de renda em curto prazo. 

Aprenda neste artigo como comparar previdência privada com outros investimentos

Como você pode perceber, a contratação da renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores é sinônimo de segurança para o seu futuro e principalmente o dos seus familiares. Em caso de falecimento, você tem a garantia de que eles receberão uma renda vitalícia. 

Mas, antes de tomar uma decisão final, informe-se bem sobre esse tipo de investimento. Pensando nisso, confira o nosso artigo completo sobre como funciona a previdência privada no Brasil e continue acompanhando as novidades do nosso blog. 

About Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *