Previdência privada ou LCA: Como escolher e como investir?

Home / Previdência privada ou LCA: Como escolher e como investir?

Você já pensou na possibilidade de investir em uma renda complementar à previdência social? Essa é uma realidade para os brasileiros que querem ter uma vida mais tranquila e financeiramente saudável quando a aposentadoria chegar.

Opções para realizar esse tipo de investimento não faltam: além da previdência privada, existem as alternativas de renda fixa, como Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), Tesouro Direto, entre outras. 

Avaliar as possibilidades e buscar aquela que se enquadra melhor no seu perfil é o primeiro passo para garantir uma renda complementar à previdência social.

Pensando nisso, vamos trazer mais informações sobre as taxas, finalidades e rendimentos para que você possa avaliar se o melhor investimento é previdência privada ou LCA.

O que é previdência privada?

De maneira resumida, a previdência privada é uma forma de poupar dinheiro para complementar a aposentadoria oficial. Para aderir à previdência privada, é necessário escolher entre duas opções de planos existentes: plano aberto e plano fechado.

O plano aberto segue as regras da Superintendência de Seguros Privados (Susep) e pode ser adquirido por qualquer pessoa. 

Já o plano fechado ou fundos de pensão atendem as demandas de empresas ou entidades financeiras interessadas em amparar funcionários ou associados. Neste caso, o órgão fiscalizador é a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).

Independentemente da escolha, a finalidade é a mesma: garantir uma vida financeira mais tranquila e uma aposentadoria condizente com o padrão de vida do investidor.  

O que é LCA?

As Letras de Crédito do Agronegócio são um título emitido por instituições financeiras públicas ou privadas (bancos). Esse tipo de aplicação em renda fixa é isento de impostos e costuma garantir retornos bem superiores aos da poupança. 

Para explicar de maneira mais simples, funciona como uma espécie de empréstimo às instituições públicas ou privadas, que usam esse dinheiro para fomentar o agronegócio. Em troca, o investidor recebe o dinheiro aplicado acrescido de juros – calculados de acordo com o período em que mantiver os recursos aplicados.

Principais diferenças entre previdência privada e LCA

Antes de optar por previdência privada ou LCA é preciso conhecer as principais diferenças entre as duas modalidades. Por exemplo, a LCA pode ser atrelada à categoria de renda fixa, enquanto os planos de previdência privada não se encaixam nesse conjunto. 

Nessa categoria de investimento é possível conhecer as condições de remuneração de maneira antecipada. Como já falamos antes, o empréstimo retorna ao investidor juntamente com juros estipulados pela aplicação. 

Mas a principal distinção entre as duas modalidades é que a previdência privada está vinculada única e exclusivamente às necessidades de uma aposentadoria. Já a LCA pode ser utilizada para outras finalidades. 

Letras de Crédito do Agronegócio

As Letras de Crédito do Agronegócio costumam ser um investimento seguro, pois são considerados títulos prefixados. Nesse modelo, o percentual fica estipulado no momento da compra, e o investidor já consegue saber quanto receberá de retorno na data do vencimento do título. 

Outro ponto que deve ser levado em consideração é que a LCA é isenta de Imposto de Renda (IR) e tem alíquota de IOF zerada. 

Mas não se esqueça de verificar a carência no momento de fazer a compra de um título LCA. O investimento não pode ser resgatado a qualquer momento – o período mínimo para reaver a aplicação é de 90 dias. 

Previdência privada

Ao optar pela previdência privada, é preciso estar ciente de que existem dois planos: o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL).

O PGBL é mais indicado para quem faz a declaração do Imposto de Renda pelo modelo completo, e permite que os valores aplicados sejam deduzidos da Declaração Anual de Ajuste do Imposto sobre a Renda – Pessoa Física. 

Já o VGBL não concede a vantagem de deduzir do IR. Porém, no momento de resgatar o valor total, o imposto vai incidir apenas sobre os rendimentos – diferentemente do PGBL, em que o Imposto de Renda incide sobre o valor total aplicado. 

Essas características tornam o VGBL mais indicado para quem é isento de IR ou faz declaração segundo o modelo simplificado.  

Critérios para escolher previdência privada ou LCA

No momento de optar entre a previdência privada ou LCA é preciso levar em consideração as vantagens e desvantagens de cada uma das modalidades. Confira no quadro abaixo algumas características da previdência privada e da LCA. 


VantagensDesvantagens
LCAIsento de Imposto de Renda e alíquota de IOF zerada 
Apesar de ser um excelente atrativo para os investidores, é necessário avaliar e verificar a rentabilidade da LCA perante outros investimentos.
Risco baixo
Protegido pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC): em caso de falência da instituição financeira, o investidor pode ser ressarcido em até R$ 250 mil por CPF.
Liquidez
Gestão estática
O investidor não tem auxílio de profissionais, o que torna a aplicação solitária.
Aplicação elevada
A aplicação mínima é entre R$ 5.000 e R$ 10.000.
Previdência privadaLiberdade do investidor
Os valores e o tempo são estabelecidos de acordo com as necessidades do investidor.
Opções de tributação
O investidor pode escolher entre a Tabela Progressiva (mesmas alíquotas do salário, até 27,5%) e a Tabela Regressiva (traz uma tributação de 10% para investimentos mantidos após 10 anos).
Portabilidade
Possibilidade de migrar para outro plano de previdência da mesma modalidade.
Possibilidade de taxas elevadas
Verificar as taxas de carregamento e de administração.
Resgate antecipado na tabela regressiva é desvantajoso
Para investimentos de até dois anos a cobrança do IR chega a 35%, já após 10 anos passa para 10%.


Vantagens de ter previdência privada e investimentos em LCA

Em casos de inflação elevada ou Selic em alta, a LCA pode ser uma opção interessante para investimentos a curto e médio prazo. Já a previdência privada é mais indicada para investimentos a longo prazo, de mais de 10, 20 ou 30 anos. 

Não estamos falando que você deve necessariamente escolher entre previdência privada e LCA, mas no momento de pensar nos investimentos é necessário avaliar se a ideia é fazer uma aplicação a curto, médio ou longo prazo. 

Dúvidas sobre previdência? Acesse www.suaprevidencia.com.br e fique bem informado.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.