Previdência para filhos: como e quando começar?

Home / Previdência para filhos: como e quando começar?

Previdência para filhos

O nascimento de um filho é um dos momentos mais felizes na vida de uma pessoa, mas, em contrapartida, surgem novas preocupações e responsabilidades.

A verdade é que a maioria dos pais, antes mesmo de ver a carinha do bebê, já está pensando em tudo o que precisa para planejar o futuro e garantir uma tranquilidade financeira.

Por isso, neste artigo vamos apresentar a importância da previdência para filhos e como ela pode ajudar nessa missão.

Previdência privada para filhos. Isso existe?

Como a previdência sempre foi direcionada para adultos com a ideia de aposentadoria, os pais ainda estranham essa prática para os pequenos.

Porém, a previdência para filhos existe e é uma ótima opção para os pais que procuram um investimento no futuro.

Para que serve uma previdência privada para filhos?

Primeiramente, pode servir como investimento para os pais, afinal os gastos com os filhos não serão baixos. Podemos colocar na ponta do lápis alguns exemplos de gastos, como fraldas, roupas, remédios, escolas, cursos extracurriculares etc. Quando atingem a maioridade, chega a etapa da universidade.

Para ter uma ideia dos valores, em 2019 foi feita uma pesquisa no Instituto Nacional de Vendas e Trade Marketing (Invent), e acredite: o custo para criar um filho até os 23 anos pode chegar a R$ 2 milhões! E, segundo a pesquisa, somente os estudos têm um custo médio de R$ 703,64 mil.

Porém, a previdência pode servir também como um segundo plano e ser usado como investimento para a aposentadoria.

Ou seja, independentemente da opção, a previdência para filhos é uma forma de garantir o futuro financeiro deles.

Qual é a idade mínima para começar uma previdência privada?

Não existe idade mínima. A previdência para filhos existe para os pais investirem quando quiserem, não há regras. Porém, como todo investimento, quanto antes começar, melhor!

Para abrir a conta-corrente ou a poupança do seu filho, muitas vezes é necessário ter o CPF do menor. Veja como é simples tirar o CPF do seu filho:

  • Compareça a uma agência do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal ou dos Correios;
  • Leve seu documento de identidade com foto (responsável);
  • RG ou certidão de nascimento do menor;
  • Pague a taxa de R$ 7.

E pronto. Você já sai com o número do CPF em mãos!

Agora voltando a falar sobre a previdência para filhos, o tempo conta muito a favor: imagine que você feche o plano quando seu filho tiver apenas 1 ano de idade, e faça depósitos mensais até que ele complete 18 anos. Quando atingir a maioridade, seu filho contará com 17 anos de rendimentos em sua previdência, com a vantagem dos juros sobre juros. Com esse dinheiro, ele poderá pagar integralmente um intercâmbio, fazer uma faculdade, comprar o próprio carro ou quem sabe até continuar investindo na previdência privada para gerar mais rendimentos no futuro.

Qual é melhor: poupança ou previdência privada?

A caderneta de poupança, embora ainda seja a aplicação mais comum entre os brasileiros, está rendendo cada vez menos, já que a inflação vive em alta.

Por isso, são vários os motivos que fazem da previdência privada uma boa opção de investimento. O principal deles é seu regime de tributação, pois só existem duas opções: PGBL ou VGBL.

Dentre as alternativas de PGBL e VGBL, você pode escolher qual se encaixa melhor em seu perfil.

Como funciona o plano de previdência privada para filhos?

A previdência privada para filhos é um investimento seguro regulamentado pela Susep (Superintendência de Seguros Privados) e funciona da mesma forma que a dos adultos.

A contratação da previdência é aberta pelos pais em nome dos filhos, porém ficam como responsáveis financeiros, ou seja, cabe ao pai ou à mãe decidir quanto aplicar, com qual periodicidade e o tipo de previdência a escolher (PGBL ou VGBL).

Quais são as vantagens de um plano de previdência privada para filhos?

Existem taxas? 

Sim. Confira:

Taxa de administração: cobrada pela prestação de serviço na gestão e na administração das cotas.

Taxa de carregamento: cobrada pelas despesas administrativas da instituição financeira na alocação de recursos.

Taxa de saída: cobrada pela antecipação do crédito e, consequentemente, pela saída do fundo. Também pode ser cobrada em casos de portabilidade.

Taxa de performance: cobra um percentual da taxa de performance em cima do resultado da rentabilidade do investimento.

Liberdade do resgate

Existem duas vantagens referentes ao resgate da previdência: uma para os pais, já que o fundo pode ser resgatado após os 60 dias de carência mínima; e outra para os filhos, que podem resgatar o valor após completarem 18 anos.

É possível transferir um plano de uma instituição para outra?

Sim, é possível. Ou seja, você não está preso àquela instituição. A única restrição de mudança é referente ao plano (PGBL ou VGBL), pois este não pode ser alterado. Neste caso, só é possível migrar de PGBL para PGBL e de VGBL para VGBL.

Gostou? Confira as outras dicas que preparamos para você aqui!

About Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *