Previdência complementar aberta: o que é e qual a diferença para a fechada

Home / Previdência complementar aberta: o que é e qual a diferença para a fechada

A previdência complementar aberta é um investimento de longo prazo que permite planejar uma aposentadoria mais confortável financeiramente. Portanto, se você quer receber uma renda extra no futuro e não depender do INSS, precisa considerar esse tipo de aplicação.

Antes, é necessário entender melhor como funciona a previdência complementar aberta e de que maneira ela difere da previdência complementar fechada.

Quer saber mais? A seguir, você vai descobrir as diferenças entre elas e vantagens de planejar o seu futuro com esse tipo de  investimento. Acompanhe.

O que é previdência complementar aberta

Previdência complementar aberta é um investimento de longo prazo que funciona como um complemento à previdência social, para garantir um futuro mais confortável financeiramente.

Sendo assim, não tem ligação com a aposentadoria garantida pelo INSS.

Na previdência complementar aberta, os planos são destinados a qualquer pessoa com interesse em investir na modalidade. Nesse caso, o contribuinte realiza aportes regulares com o valor que quiser, e o capital é aplicado em fundos de previdência.

O dinheiro fica rendendo por anos até o resgate do investimento, em forma de renda mensal ou vitalícia.

Os planos de previdência complementar aberta são oferecidos no setor privado por bancos e corretoras. Essas instituições financeiras, por sua vez, são fiscalizadas e regulamentadas pela Susep (Superintendência de Seguros Privados).

Previdência complementar aberta x fechada

No Brasil, existem dois tipos de previdência complementar: aberta e fechada. Elas são voltadas a públicos diferentes e têm diferenças no modo de funcionamento.

Previdência complementar aberta

Bem, como você acaba de descobrir, a previdência complementar aberta é destinada a qualquer pessoa física que queira fazer o investimento para garantir uma aposentadoria extra.

As instituições que oferecem esse tipo de previdência são as entidades abertas de previdência complementar (EAPC).

Previdência complementar fechada

Por sua vez, a previdência complementar fechada é destinada a empresas e associações

Os planos são oferecidos por entidades fechadas de previdência complementar (EFPC), também conhecidas como fundos de pensão.

Na modalidade, empregadores e empregados realizam aportes para os fundos de investimento. O capital fica rendendo por anos até ser resgatado pelo funcionário no momento da aposentadoria na forma de renda mensal.

Na prática, então, a previdência complementar fechada é uma forma de garantir aos colaboradores da empresa uma renda maior na aposentadoria. AS EFPCs são fiscalizadas por outro órgão brasileiro: a Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar).

Vantagens da previdência complementar aberta 

Depois de entender o que é a previdência complementar aberta, confira as principais vantagens de investir na modalidade:

Aposentadoria mais confortável

O benefício principal, conforme mencionamos anteriormente, é garantir uma aposentadoria mais confortável financeiramente e manter o seu padrão de vida. Afinal, é comum que a renda proporcionada pelo INSS não seja suficiente para garantir tranquilidade no orçamento.

Com a previdência privada, você tem a garantia de que vai receber mais do que investiu: de modo geral, no longo prazo, a incidência de juros compostos aumenta a rentabilidade do investimento.

Assim, você terá acesso a um montante muito acima do valor investido ao longo dos anos. Já o resgate pode ser feito nas formas de renda vitalícia ou mensal, conforme a sua preferência.

Além disso, em alguns planos, é possível ter acesso a benefícios extras, como pensão por morte ou renda por invalidez.

Sem teto na previdência complementar aberta

Outra vantagem importante é que não existe teto na previdência complementar aberta. Ou seja: não há limites referentes aos valores que você pode receber ao fazer o resgate do investimento. Tudo depende do montante investido no plano e da rentabilidade.

Para você ter uma ideia, o limite de rendimento mensal do INSS é de R$ 6.101,06 (valor referente a janeiro de 2020)  — e só ganha esse valor quem já possui alta renda.  Então, nada melhor que garantir uma renda extra para o futuro, concorda?

Possibilidade de escolher o plano

Na previdência complementar aberta, existem dois planos: PGBL e VGBL. 

O PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres) oferece um benefício fiscal relevante para o investidor: a possibilidade de fazer restituição na declaração de Imposto de Renda em até 12% do rendimento bruto. Nesse caso, o imposto incide sobre o valor total no momento do resgate.

Já o VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres) não permite restituição, mas o imposto incide apenas sobre o rendimento. Portanto, é ideal para quem não declara IR ou faz a declaração simplificada.

Imposto de Renda menor

Outra vantagem é que o investidor pode escolher o regime de tributação regressivo na previdência privada. Nesse modelo, a alíquota do imposto cobrada diminui conforme o tempo da aplicação.

Acima de 10 anos de investimento, a alíquota chega a 10%, que é a menor taxa cobrada em qualquer tipo de aplicação financeira no Brasil. 

Facilidade de usar a previdência para herança

Por fim, vale destacar que a previdência complementar aberta oferece facilidade para a transmissão de patrimônio. O saldo não entra em inventário, e a redução na burocracia permite maior agilidade ao processo.

Em muitos casos, também não há cobrança de ITCMD (Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação). É o caso de qualquer investimento no plano VGBL e em alguns investimentos no PGBL, dependendo do estado.

E então, convencido a investir em previdência complementar aberta? Se ficou com alguma dúvida, deixe seu comentário.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.