Pedagogia econômica: o que é e como impacta sua relação com o dinheiro

Home / Pedagogia econômica: o que é e como impacta sua relação com o dinheiro

A pedagogia econômica é essencial, mas infelizmente ainda muito negligenciada nos lares e instituições de ensino no Brasil. Fácil reconhecer a sua enorme importância: todas as pessoas, sem exceção, têm que lidar com dinheiro. E sem uma base educacional para isso, não se pode esperar uma boa relação com nossas carteiras e contas bancárias, concorda?

A solução está na educação. Está disposto a melhorar nesse sentido? Então, avance na leitura deste conteúdo para saber mais sobre o assunto, dominar a pedagogia econômica e colocar a mudança em prática na sua vida.

Pedagogia econômica: o que é?

Também conhecida como educação financeira, esse é o ramo da pedagogia voltado para o desenvolvimento de saberes e competências em relação às finanças pessoais.

Perceba que, nesse caso, a formação não é necessariamente profissional. Ou seja, o foco da pedagogia econômica é fornecer as ferramentas essenciais para tratar do uso do dinheiro no dia a dia e ao longo da vida.

Como planejar-se para passar um mês tranquilo com o próprio salário? O que fazer para guardar dinheiro regularmente? Essas e outras questões podem ser respondidas por meio da educação voltada para as finanças.

Como a pedagogia econômica funciona?

Para nos expressarmos bem, estudar português e redação é fundamental. O mesmo vale para desenvolver o raciocínio lógico, que depende do estudo de ciências exatas e de matemática.

Nessa linha, a pedagogia econômica se presta a servir de base para a formação de pessoas capazes de cuidar das suas finanças na vida adulta.

Os processos pedagógicos em geral têm como objetivo sistematizar o conhecimento, permitindo que um certo tipo de saber seja dominado. Por essa perspectiva, a pedagogia econômica funciona como um terreno de experimentação de práticas e bons hábitos para aplicação diária.

Você já parou para pensar, por exemplo, por que é tão difícil poupar dinheiro? Provavelmente, essa dificuldade tem muito a ver com a falta de ferramentas e de informação que tivemos sobre o assunto. É esse tipo de lacuna que a educação financeira pretende preencher.

Benefícios da pedagogia econômica

A educação é sempre a melhor reposta para os desafios que a vida impõe, incluindo a falta (ou até o excesso) de dinheiro.  Assim sendo, a pedagogia econômica é, sem dúvida, o melhor caminho para se ter uma relação mais saudável com o dinheiro.

Em uma análise rápida, podemos identificar os benefícios da sua aplicação:

  • Desenvolve o raciocínio para as finanças
  • Serve de base para criar bons hábitos a respeito do dinheiro
  • Amplia a visão sobre a importância de se poupar e investir
  • É a base para adotar o planejamento financeiro
  • Ajuda a evitar o endividamento e a inadimplência

Pedagogia econômica: 4 dicas para sua vida

Como falado, a pedagogia econômica não implica em fazer cursos demorados ou investir pesadamente em formação. Na verdade, o seu objetivo é formar pessoas que tenham o conhecimento necessário para dar a melhor destinação aos seus recursos, gerando valor e aumentando a qualidade de vida.

Dessa forma, sempre é tempo de começar uma nova fase com menos dívidas, preocupações financeiras e mais prosperidade. Para isso, um bom começo é aplicar as dicas dos próximos tópicos: 

1. Nunca gaste sem planejar

Certamente, a melhor prática que você pode adotar desde já é nunca gastar o seu dinheiro sem antes ter planejado. Isso não quer dizer que você não pode fazer o que quiser com o seu dinheiro. 

No entanto, é preciso ter em mente que o planejamento serve, justamente, para dar mais liberdade ao usar esse recurso – que, obviamente, não é ilimitado.

Lembra aquela frase que diz que “dinheiro não nasce em árvore”? Portanto, se você quer mesmo usar o seu salário da melhor forma, deve começar traçando o destino que ele terá.

2. Faça da calculadora uma amiga

Existem acessórios que nunca devemos abrir mão – e um deles é a calculadora. Afinal, para ter um orçamento equilibrado, é preciso saber exatamente como andam as finanças. Nesse sentido, essa ferramenta pode ser muito útil.

Faça um pequeno esforço de memória: quando foi a última vez que você pegou em uma para calcular um gasto ou atualizar suas contas? Se tem pouco tempo, parabéns, pois indica que está usando a calculadora na frequência ideal.

Mas, caso nem consiga lembrar quando foi, é bom que a partir de agora, evite esse erro e adote a calculadora como sua companheira inseparável. É muito fácil, está literalmente sempre a mão em seu celular!

3. Use bem o seu orçamento

Adotar a pedagogia econômica é, como já destacamos, dar um passo para ter mais liberdade com o dinheiro. Quem se informa sobre o assunto, com certeza, faz mais com menos.

Acredite: o que importa não é tanto quanto se ganha, mas sim o uso que é feito desse rendimento. Aplicando esse princípio, você se surpreenderá com o quanto pode fazer até mesmo com um salário mínimo.

4. Leia e informe-se

Como visto, educação é o principal ponto de partida para ter mais saúde financeira, o que contribui em diversos aspectos da vida. E informação para você começar a gerir melhor suas finanças é o que não falta na internet. 

Uma das fontes que você pode usar desde já para isso é o blog Sua Previdência Privada. Conte com a gente para ajudar na sua trajetória em direção a uma vida financeira mais produtiva e saudável.

About Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *