Kakebo: conheça esse método japonês para organizar sua vida financeira

Home / Kakebo: conheça esse método japonês para organizar sua vida financeira

Kakebo

Organizar a vida financeira para conseguir economizar é sempre um desafio, e você já deve conhecer diversas técnicas de controle de orçamento.

Os japoneses usam o método Kakebo, tradicional técnica oriental de poupança que começou a se popularizar no Brasil nos últimos anos e promete te ajudar a economizar 35% da renda. Ficou interessado? Confira tudo sobre a ferramenta neste artigo.

A origem do termo

Sabemos que os japoneses são muito metódicos e organizados e, para poupar dinheiro não seria diferente, não é mesmo? Vem de lá o método Kakebo.

Kakebo é uma técnica da sabedoria japonesa pensada por Motoko Hani (Japão, 1873-1957), uma mulher que fundou uma escola feminina (chamada Jiyû Gakuen) a favor da educação de meninas e mulheres.

Logo, a gestão financeira não poderia ficar de fora dessa meta de aprendizagem. Esse foi um período de crise econômica no país e poupar era palavra de ordem na época.

Motoko Hani também foi a primeira jornalista do Japão e fundadora, em 1903, da mais antiga revista feminina do país, em que ela escrevia sobre economia doméstica para as leitoras. Em 1904, ela lançou o primeiro Kakebo.

Sendo o Japão um país patriarcal, em que as mulheres eram as principais responsáveis por toda a administração doméstica, o Kakebo foi considerado muito eficiente e se popularizou rapidamente.

Kakebo, em japonês, significa “livro de contas da casa”. Digamos que ele é uma versão atualizada das cadernetas que muitos de nossos pais e avós utilizavam para anotar gastos, contas e economias. Talvez até você mesmo ainda utilize um caderninho! A diferença é que no Kakebo essas anotações são sistematizadas e organizadas.

Quer saber como? Acompanhe.

Como funciona o Kakebo

“Kakebo: Agenda de finanças pessoais” é um livro escrito por Comitie Blackie, com tradução no Brasil por Sandra Martha Dolinski, lançado por aqui em 2014.

Contrariando o aspecto sisudo que geralmente é característico de assuntos dessa pauta, o livro se tornou um best-seller por tratar do tema de maneira descontraída.

A publicação conta até com dois personagens, um porquinho e um lobo, para fazerem as vezes, respectivamente, de conselheiro e vilão das finanças.

Com uma diagramação lúdica e intuitiva, o livro  faz com que você fique por dentro do que é o Kakebo e, assim, se aproprie da ferramenta.

Quem deve fazer

Pode ser que nem todas as pessoas se adaptem ao Kakebo, já que se exige disciplina, como você vai ler sobre o método à frente.

Mas se você se encaixa em um dos perfis descritos abaixo, vale a pena considerar a utilização do Kakebo no seu dia a dia.

O método é indicado para quem:

  • quer começar a poupar dinheiro;
  • deseja organizar sua vida financeira;
  • pretende definir prioridades de gastos e despesas;
  • quer desenvolver autodisciplina financeira;
  • busca entender como gasta seu dinheiro;
  • se pergunta no fim do mês aonde foi parar o salário.

Ficou interessado? Então entenda:

Princípios e método

O início da utilização do Kakebo pode ser bastante trabalhoso, mas é puramente questão de hábito: de consumo e de seu registro diário.

O Kakebo tem, basicamente, três princípios:

  • Saber o que você gasta semana a semana e controlar essas despesas, tendo em vista a anotação de todos os seus gastos diários e analisando tudo ao fim do mês;
  • Estabelecer prioridades de consumo;
  • Permitir que você tenha uma espécie de mapa das suas despesas e possa analisá-las com profundidade, encontrando novas formas de se relacionar com sua realidade orçamentária para poupar dinheiro.

Mais do que uma simples agenda de anotações de gastos, o Kakebo traz espaços para que você reflita sobre o consumo, sobre o que deu certo e o que não deu, e conta ainda com dicas e orientações sobre finanças pessoais.

É bom lembrar que o livro sozinho não faz milagres, e é necessário seguir o método à risca, anotando todos os gastos diários. Quando vemos todos eles descritos no papel é que a ficha cai e passamos a materializar para onde está indo o dinheiro.

Para organizar tudo isso, o Kakebo propõe uma divisão de despesas por áreas da nossa vida cotidiana.

Divisão de despesas

É bastante comum que a pessoa não saiba por onde começar a reorganizar a vida financeira ou não veja de onde tirar das despesas para guardar dinheiro.

O Kakebo propõe que os gastos sejam divididos em categorias:

  • Lazer: festas, bares, restaurantes, roupas, sapatos, assinaturas de serviços de streaming.
  • Vícios: cigarro, bebidas e, dependendo do comprometimento, outros tipos de compras.
  • Cultura: livros, cinema, jornais, espetáculos, cursos.
  • Sobrevivência: água, energia, internet, telefone, aluguel ou prestação do imóvel, condomínio, gasolina, carro, alimentação, transporte, educação, remédios, plano de saúde.
  • Extras: presentes, viagens, objetos que não são de primeira necessidade.

Tendo seus gastos e despesas todos anotados e depois analisando-os pelas lentes dessas categorias, é possível que você veja em quais áreas gasta mais e o porquê.

É importante também que você se coloque objetivos, como, por exemplo, economizar 80 reais em um mês e, analisando seus gastos, observar como pode ter esse dinheiro guardado até o fim do mês.

Esse objetivo deve ser anotado no seu Kakebo para que você avalie, no fim do mês, se conseguiu atingi-lo e, se porventura não tiver conseguido, refletir o porquê.

A partir daí, é começar a perceber o que pode cortar do seu caderninho e dos seus hábitos. Aquele cafezinho na padaria de todo dia? Reduzir a ida ao bar a uma vez por semana? Abdicar de algum vício? Mudar o plano de telefonia da família? Deixar de almoçar fora? Diminuir os passeios no shopping e, consequentemente, não cair nas tentações consumistas?

Você pode seguir com seu objetivo inicial de poupar determinado valor mensal ou ainda começar com um valor menor e aumentar seus objetivos ao longo dos meses.

O Kakebo prevê também que o dinheiro economizado vá para seu cofre, como uma reserva para imprevistos. Portanto, tudo o que você economizar deverá permanecer intocado.

O início de cada mês é um período importante para todos os adeptos do Kakebo, pois é quando você deve analisar o mês anterior e planejar o próximo. Se for começar, já coloque na sua agenda: dia 1 de cada mês será seu encontro mensal com o Kakebo.

Diferenciais do Kakebo

Existem inúmeros métodos e técnicas para poupar dinheiro e reorganizar o orçamento. Sobretudo em tempos de canais no youtube e aplicativos aos montes, o que não faltam são opções.

Porém, se o Kakebo se mantém popular desde 1904, sobrevivendo às tecnologias digitais é porque ele apresenta alguns diferenciais importantes.

Vantagens

  • o layout lúdico e ilustrado ajuda a deixar a tarefa menos árdua e até divertida, contando com a história dos mascotes;
  • no Kakebo a visualização de despesas fica muito clara e objetiva;
  • pode ser utilizado por qualquer pessoa, independentemente do grau de instrução ou classe social;
  • é uma ótima opção para quem não se dá bem com as tecnologias digitais e aplicativos;
  • é barato e prático;
  • mais do que apenas gerir números, faz o adepto refletir sobre hábitos de consumo.

Desvantagens

  • o Kakebo pode ser pouco sigiloso, pois dependendo de onde for deixado, qualquer pessoa pode acessá-lo e ver suas anotações;
  • para quem não tem o hábito, carregar um caderno ou livro para todos os lugares, para anotar os gastos, pode ser um desafio;
  • não gera relatórios automáticos como em algumas ferramentas digitais;
  • pode perdê-lo ou sujá-lo e não ser possível recuperá-lo.

Dicas para começar

Como todo novo hábito, o importante é começar e persistir. No caso do Kakebo, o principal é se apropriar do método, com ou sem o livro, e fazer o levantamento das suas despesas nas categorias propostas. E, assim, tornar o seu Kakebo um companheiro inseparável.

Coloque seu nome no Kakebo e planeje um tempo semanal para cuidar das informações contidas nele. Não se esqueça de que o planejamento mensal é a chave da economia, portanto, se organize para que consiga atingir seus objetivos.

O dinheiro que sobrar, guarde ou invista! Tente pensar sempre em aumentar o objetivo de poupança.

Separe uma pastinha para guardar comprovantes, boletos, faturas, movimentações e saldos de contas.

Essas medidas ajudarão a tornar a sua experiência com o Kakebo mais eficiente.

Onde encontrar?

O Kakebo custa entre R$ 30 e R$ 40 e pode ser encontrado em livrarias físicas e online.

Se você gostou desse artigo, continue no blog da Sua Previdência Privada e saiba tudo sobre como investir na sua aposentadoria.

About Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *