Itaú Previdência é um bom investimento? Tire suas dúvidas

Home / Itaú Previdência é um bom investimento? Tire suas dúvidas

Quer saber se o Itaú Previdência é um bom investimento para a aposentadoria? Para fazer essa análise, você precisa levar em conta critérios como rentabilidade, taxas cobradas e qualidade da gestão. 

Um bom plano de previdência privada deve oferecer taxas competitivas, uma boa perspectiva de retorno em longo prazo e garantias de que seu patrimônio está em boas mãos. Para decidir se o Itaú Previdência é um bom investimento, vamos detalhar as principais características dos fundos e deixar que você mesmo tire suas conclusões.

Continue lendo e veja se vale a pena investir na previdência do Itaú.

Como é a previdência no Itaú?

Para saber se o Itaú Previdência é um bom investimento, é importante avaliar todas as opções de fundos previdenciários oferecidas pelo banco. Como em outras instituições financeiras, a previdência privada do Itaú tem diferentes planos do tipo VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) e PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre).

Os objetivos desses investimentos de longo prazo são construir patrimônio e garantir um bom padrão de vida para a aposentadoria — ou alcançar a independência financeira. A principal diferença entre os planos VGBL e PGBL está na tributação:

  • O PGBL permite a dedução de 12% da base de cálculo do IR (indicado para quem declara no formulário completo), mas a alíquota incide sobre o patrimônio total acumulado no plano (valor investido + rentabilidade).
  • O VGBL não permite a dedução do IR, mas desconta a alíquota somente dos rendimentos, sendo mais indicado para quem declara pelo modelo simplificado.

Fora essas diferenças, os dois tipos de plano têm as mesmas regras de acumulação e recebimento no Itaú Previdência, além das opções de escolha entre regime de tributação progressiva e regressiva.

Características do Itaú Previdência

Antes de avaliar se o Itaú Previdência é um bom investimento, vamos entender melhor como funcionam as regras e condições dos planos oferecidos.

Confira as principais características.

Taxa zero de carregamento

Os planos do Itaú Previdência não cobram taxa de carregamento, que é uma porcentagem cobrada sobre as contribuições (taxa de entrada) e os saques realizados (taxa de saída). A única taxa cobrada é a de administração, que varia de 1% a 3% conforme o fundo escolhido — o banco não informa se há taxa de custódia.

Portabilidade sem custos

O Itaú Previdência oferece a opção de portabilidade sem custo, permitindo que qualquer investidor migre seu plano de previdência privada para o banco. No entanto, só é possível trocar a previdência por outra do mesmo tipo (VGBL para VGBL e PGBL para PGBL).

Tributação regressiva ou progressiva

Todos os planos do Itaú Previdência permitem escolher entre dois regimes tributários:

  • Tabela regressiva: na tributação pela tabela regressiva, as alíquotas diminuem conforme o tempo da aplicação, iniciando em 35% para resgates em até dois anos e chegando a 10% para investimentos acima de dez anos
  • Tabela progressiva: incidem as mesmas alíquotas da tabela utilizada para salários e aposentadorias, que vão de 7,5% a 27,5% conforme o valor da retirada

Fundos diversos

Em relação aos fundos oferecidos pelo Itaú Previdência, são três principais tipos:

  • Renda fixa: a maior parte dos fundos são de renda fixa, ou seja, concentram as aplicações em ativos de renda fixa como títulos públicos, CDBs e LCAs/LCIs. São as aplicações de menor risco, indicadas para perfis conservadores, mas também apresentam rentabilidade inferior em tempos de juros baixos
  • Balanceado: os fundos de previdência balanceados combinam diversas classes de ativos diferentes (renda fixa, ações, câmbio etc.), que são classificados conforme a proporção de ativos de renda variável (15%, 15% a 30% e mais de 30%)
  • Multimercados: os fundos de previdência multimercados também combinam várias classes de ativos, mas obedecem ao limite de 49% de aplicação em renda variável (Ex.: ações) e não possuem percentuais específicos de benchmark

Obviamente, os fundos que incluem ativos de renda variável são mais voláteis e indicados para investidores de perfil moderado a arrojado.

Aplicação inicial para todos os bolsos

Outra característica do Itaú Previdência são as opções de aplicação mínima para todos os bolsos: é possível investir em um fundo de previdência privada a partir de R$ 50,00. Em alguns casos, o valor também pode chegar ao mínimo de R$ 300 mil para fazer parte do plano. 

Itaú Previdência é um bom investimento?

Para decidir se o Itaú Previdência é um bom investimento, precisamos analisar critérios como taxas, rentabilidade e custo de oportunidade. Se observarmos a tabela geral, podemos acompanhar o desempenho de cada fundo no mês atual, no mês anterior e também nos últimos 12, 34 e 36 meses.

Embora a rentabilidade passada não seja garantia de rentabilidade futura, os valores são compatíveis com o mercado e alguns fundos se destacam — e até já ocuparam listas dos mais rentáveis da previdência. No entanto, as taxas de administração cobradas representam uma desvantagem, pois não é recomendado que fundos de renda fixa ultrapassem a porcentagem de 1%.

Por isso, ainda há opções de previdência privada mais vantajosas em termos de retorno e custos no mercado, e cabe a você comparar as opções para encontrar a mais interessante. Só depois de conhecer outros fundos, você poderá concluir se o Itaú Previdência é um bom investimento ou se vale mais a pena aplicar em outra instituição.

About Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *