Como investir na aposentadoria? Faça de acordo com sua renda!

Home / Como investir na aposentadoria? Faça de acordo com sua renda!

Investir na aposentadoria é um tema discutido com assiduidade nos últimos meses. As reformas na previdência social, junto a maiores possibilidades de investimentos, têm aberto novas opções para quem deseja um futuro confortável em rendimentos. Para tanto, é preciso conhecer os tipos de investimento para esse fim, e como podem ser aplicados com qualquer renda mensal.

Como investir na aposentadoria de acordo com sua renda

A dica essencial para qualquer tipo de investimento é sempre se ater ao seu rendimento mensal. De nada adianta aplicar altos valores se esse dinheiro pode faltar para outros gastos importantes no fim do mês. Esse fator pesa ainda mais em épocas de crise, em que o mercado pede por mais retenção devido a baixa rentabilidade.

Dito isso, investir na aposentadoria é justamente se prevenir de cenários incertos no futuro. E atualmente, com as reformas da previdência social, convém buscar por alternativas igualmente seguras.

A previdência privada é uma das alternativas mais interessantes, seja pela flexibilidade de formatos e carteiras, seja pela liberdade que os investidores possuem de depositar quanto desejarem, no período que desejarem, e com isso ter uma ideia mais adequada do futuro.

Existem alternativas bem conhecidas e seguras para quem começar seus investimentos. Os exemplos mais conhecidos são os ativos de renda fixa, como o LCI ou mesmo o Tesouro Direto. Na verdade, eles podem ser um grande aprendizado para quem está começando.

Contudo, para quem busca um retorno relativamente mais rápido, ou com rendimentos mais vantajosos, a previdência privada pode ser uma ótima alternativa, especialmente para quem já está perto de se aposentar.

Tipos de investimento privados para aposentados

Existem algumas prerrogativas nas quais pensar antes de saber como investir na aposentadoria. Isso vale tanto para quem pretende se aposentar em pouco tempo, como quem ainda está começando seus anos de contribuição.

  • Com quantos anos pretende se aposentar?
  • Qual a sua faixa etária?
  • Quais os gastos previstos na sua aposentadoria?

Mais do que ter uma renda fixa por mês na sua aposentadoria, fatores como o tempo de contribuição, os confortos desejados, e os cuidados que de fato devem ser trabalhados contam bastante para uma aposentadoria estável.

Com isso em mente, vamos a alguns tipos de aplicações que podem ajudá-lo a como investir na aposentadoria de maneira realmente segura. Confira!

PGBL

Ideal para quem possui alta renda, especialmente acima dos 30 anos de idade. Com a PGBL, é possível fazer uma dedução de até 12% no IR através de suas aplicações, que não recaem sobre os rendimentos enquanto o investidor não fizer o resgate desses valores, o que pode levar anos. Por outro lado, o tipo de tributação (progressiva ou regressiva), pode ser bem desvantajoso dependendo do valor investido, o que vale uma análise prévia.

VGBL

É uma opção viável para quem faz a declaração de IR através do modelo simplificado, o que infere uma renda um pouco mais baixa. Ou, como alternativa, seus investidores querem um modelo mais direto de investimento. A tributação ocorre apenas sobre os rendimentos no formato regressivo. Isto é, quanto mais tempo de contribuição, menor é a incidência da taxa sobre os valores.

Fundos de Investimentos

Opção para quem já possui uma certa estabilidade, e deseja rendimentos para sua previdência privada de forma mais abrangente. Os fundos de investimento não são menos arriscados, pelo contrário: a variedade é grande o suficiente para atender a todo perfil de investidor. Assim, os rendimentos e riscos estão mais disponíveis, o que pede uma experiência de quem o faz.

Aqui, uma série de contribuintes, também chamados de cotistas, compram um pacote de ativos em conjunto a uma empresa responsável pela aplicação deles, com os rendimentos divididos proporcionalmente entre cada cotista.

Quais as medidas de prevenção

Saber como investir na aposentadoria também diz respeito aos tipos de prevenção que cada interessado possui para garantir a segurança nas aplicações. Para tanto, existem algumas ações simples que podem fazer toda diferença.

Para começar, os rendimentos mais conhecidos de renda fixa possuem proteção do FGC, o que permite o resgate de valores caso a instituição responsável quebre. Nas previdências privadas, por outro lado, não há cobertura direta do órgão regulador, mas há toda uma legislação para proteger os investidores de quebras.

Contudo, a melhor medida de prevenção é estar sempre atento às mudanças do mercado. Uma carteira de investimentos diversificada, que abrange mais de uma frente de rendimentos, pode lhe assegurar uma melhor administração, e o investimento na aposentadoria ser estável mesmo em períodos mais críticos.

Escolha o modelo mais seguro para você

Por fim, saber como investir na aposentadoria também diz respeito ao tipo de perfil de investidor. Sem um conhecimento de causa, e principalmente sem referências para começar suas aplicações, os riscos se tornam maiores, especialmente para sua renda regular.

Então, ao investir na aposentadoria, considere inicialmente quanto pode investir por mês, o tempo em que pode fazê-lo, e os rendimentos que esses valores vão oferecê-lo. Essa é uma análise simples, que vai lhe oferecer uma base para começar suas contribuições.

About Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *