Dieta financeira: a receita para comer bem e economizar

Home / Dieta financeira: a receita para comer bem e economizar

Dieta-financeira

Já experimentou uma dieta financeira? Se você é do tipo que não perde a oportunidade de conhecer um restaurante novo ou de pedir um delivery, pode estar na hora de apelar para essa estratégia.

Não entendeu do que se trata, mas acha que uma economia na alimentação cairia bem? Então, siga na leitura deste artigo e conheça o que esse conceito representa e como ele pode ser aplicado na sua rotina.

O que é dieta financeira?

O conceito de dieta financeira alia a necessidade de uma alimentação equilibrada com a importância de manter o controle dos gastos relacionados à comida.

Não significa passar vontade ou se privar de experiências que são importantes para você, como desfrutar de um jantar em família naquele restaurante em que todos se reúnem desde sempre.

O ponto central, aqui, é aprender a fazer escolhas mais inteligentes, que não sejam baseadas apenas em um impulso ou decisões mal pensadas.

Como uma dieta financeira funciona?

Para entender esse conceito, pense em uma dieta alimentar. No entanto, no lugar de ficar de olho apenas nas calorias, você também vai precisar considerar outros números, como os do seu orçamento.

Todo o funcionamento depende de entender o quanto você gasta com alimentação, com qual frequência, em quais lugares e por quais motivos. O objetivo é ter acesso a um panorama completo, que permita enxergar aqueles hábitos da rotina que você repete de maneira automática e sequer percebe.

Com os dados em mãos, é possível traçar as estratégias da dieta financeira e definir parâmetros de acompanhamento. Mas não se preocupe, logo vamos falar sobre um passo a passo que pode ser adaptado para a sua realidade.

Benefícios da dieta financeira

Quando você opta por realizar uma dieta financeira, passa a observar o seu consumo de alimentos com mais cuidado, o que permite avaliar excessos e, sobretudo, analisar a qualidade da alimentação. Então, logo de cara, a sua saúde agradece.

A tendência é que você passe a valorizar mais as refeições preparadas em casa e elimine a culpa gerada por ter comido um prato que era muito maior do que a sua fome.

Como se cuidar da saúde não fosse o bastante, há ainda mais razões para você começar uma dieta financeira hoje mesmo. Falando mais especificamente do bolso, é inegável que o maior benefício é a economia. Afinal, muitas vezes, sequer temos noção de quanto a alimentação representa nos nossos gastos.

Ao conhecer os números, você ganha uma oportunidade de mudar hábitos e aproveitar melhor o seu dinheiro.

Sabe aquela viagem que você sempre quis fazer ou a reforma completa do apartamento que nunca sai do papel? A realização de projetos pode ficar muito mais perto do que você imagina quando a dieta financeira é integrada à rotina de modo permanente.

Como fazer uma dieta financeira?

Convencido de que uma dieta financeira é a solução para melhorar a sua saúde e ainda equilibrar os gastos? Confira um passo a passo de como levar essa estratégia para o seu dia a dia, com saúde no corpo, na mente e no bolso!

Conheça os números

Como já comentamos, não dá para pensar em economizar sem antes saber qual é a situação real. O primeiro passo, portanto, é analisar as contas dos últimos meses – você pode considerar, por exemplo, um trimestre ou um semestre – e entender o que elas mostram.

Para cada mês, some todos os gastos relacionados à alimentação. Isso inclui: o supermercado, o restaurante, a padaria, o delivery e qualquer outro. Depois, avalie o quanto esses valores representam da sua renda total.

Também identifique quais das áreas acima concentram as maiores despesas no conjunto. Isso vai ajudar nos próximos passos.

Defina metas de economia

Com os números em mãos, é hora de definir metas de economia, que também podem ser aliadas a objetivos como emagrecimento, aumentar a massa magra, ter uma alimentação mais saudável ou qualquer outro que faça sentido para você e a sua realidade.

Decida, por exemplo, que você só pode pedir comida por delivery duas vezes por mês. Outra meta possível é reduzir em 35% os seus gastos mensais com alimentação.

O essencial aqui é pensar em objetivos que realmente possam ser cumpridos e que representem uma mudança importante no modo como você define a sua alimentação.

Mude hábitos nocivos

Para ajudar no cumprimento das metas, também é fundamental identificar hábitos que levam você a gastar mais do que deveria, como não saber cozinhar ou se esquecer de ir ao supermercado e acabar gastando mais em restaurantes.

Pergunte para você mesmo se existe alguma forma de transformar essas atitudes e tente assumir uma postura diferente.

Invista o dinheiro economizado

Mais uma dica para incentivar a sua economia: tenha um propósito definido e invista o seu dinheiro com base nele.

Se você deseja ampliar o seu patrimônio em longo prazo e se preocupa em garantir um futuro mais tranquilo para a sua família, uma boa alternativa pode ser iniciar um plano de previdência privada.

Com uma pesquisa sobre as melhores taxas, é possível aliar segurança e rentabilidade na hora de investir o seu dinheiro.

Quer saber mais sobre a modalidade e as suas vantagens? Aqui no blog da Sua Previdência Privada você tem acesso aos conteúdos mais atualizados sobre o assunto, escritos de forma descomplicada e direta!

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.