Como declarar renda fixa? Confira nosso passo a passo!

Home / Como declarar renda fixa? Confira nosso passo a passo!

Como-declarar-renda-fixa

Como declarar renda fixa? Existem diversas modalidades, cada qual com detalhes importantes em que os investidores de longa data, ou os que começaram há pouco tempo, precisam se atentar para garantir que não tenham nenhum problema.

Com a possibilidade de realizar a declaração do Imposto de Renda até o final de junho desse ano, há tempo o suficiente para analisar todos os dados e fazer todas as etapas de maneira assertiva. Confira adiante.

Como declarar renda fixa e por que é necessário?

Os investimentos de renda fixa mais comuns são os CDB, LCI, LCA, além de outros que podem aparecer. Aqui, entra um ponto importante a ser esclarecido: embora alguns investidores façam aplicações em produtos isentos de impostos, ainda assim é obrigatório declará-los no patrimônio.

Nesse caso, as declarações de renda fixa são consideradas como bens, feitos em uma seção de acordo.

Especificamente, você deve fazê-lo dentro do campo de “Bens e Direitos”, código 75. A partir daqui, existem alguns fatores que investidores tanto iniciantes quanto avançados devem prestar ainda mais atenção, pois erros que levam a retificações são constantes.

Para começar, a maior parte dos produtos de renda fixa tem imposto retido na fonte. Ou seja, os lucros gerados por eles já chegam líquidos ao investidor.

Se você optou por uma opção de renda fixa cuja tributação é feita apenas no resgate, o valor gerado como lucro também é declarado como investimento na fonte, com porcentagens de acordo. As rendas de previdência privada, por exemplo, operam dessa maneira.

Quem está isento?

Outro ponto importante antes de saber como declarar renda fixa é se de fato você precisa. Tal como salários e outros bens, há um valor mínimo para declaração no IR. Abaixo, mostramos alguns deles, lembrando que todos os valores são referentes a 2019.

  • Rendimentos com valor superior a R$ 28.559,70.
  • Operações realizadas diretamente na bolsa de valores.
  • Imóveis com valor acima de R$ 300.000,00.
  • Rendimentos isentos de aplicações acima de R$ 40.000,00 ou sujeitos à tributação definitiva.

Quanto à renda fixa, ainda existem outras aplicações que são isentas de imposto, mas que mesmo assim devem ser declaradas. Abaixo, discriminamos quais passam pela taxação do leão, e quais não.

Renda fixa não isenta de impostos

  • CDB
  • COE ou Certificado de Operações Estruturadas
  • Letra de Câmbio
  • Tesouro Direto, como Taxa Selic, IPCA
  • NuConta, ou investimentos em títulos públicos

Renda fixa isenta de impostos

  • CRA (Certificado de Recebíveis Imobiliários)
  • CRI (Certificado de Recebíveis do Agronegócio)
  • LCA
  • LCI
  • Poupança

Para rendimentos em que é preciso fazer o resgate, o preenchimento dentro do software do IR é diferente do mencionado acima. Clique em “Novo” e procure pelo código 06, “Rendimentos sobre Ações Financeiras”. ‘

Deve-se preencher dados como o CNPJ e o nome da fonte pagadora, além do beneficiário do resgate e o valor resgatado.

Para LCA e LCI, além de CRA e CRI, o preenchimento é feito na seção “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”. Sob o código 12, “Rendimentos de Poupança, letras hipotecárias, letras de crédito do agronegócio e imobiliário (respectivamente, LCA e LCI para esses últimos)”. Aqui, os dados sobre o nome da fonte pagadora, valor do rendimento, CNPJ da instituição financeira ou corretora e o tipo de beneficiário devem ser preenchidos.

Em cada um desses rendimentos, você deve fazer uma nova declaração. Se você tem várias carteiras em formatos diferentes, é fundamental que faça tudo bem separado e delimitado.

Garanta que todos os dados estejam corretos

Tanto quanto outros detalhes na declaração do IR, saber como declarar renda fixa é fundamental, especialmente para receber a restituição de maneira correta, ou pior ainda, gastar mais tempo com uma retificação.

Aprofundando a questão apresentada acima, quando um investidor possui vários investimentos, e principalmente em instituições diferentes, eles devem ser discriminados.

Cada renda fixa possui propósitos diferentes, mesmo categorizados como bens, portanto, o preenchimento deve seguir esse prospecto.

Outro ponto fundamental em como declarar renda fixa são os rendimentos com imposto retido na fonte.

Mesmo com a instituição realizando esse processo, você precisa confirmá-lo na declaração de IR, muito por conta do cruzamento de dados que a Receita Federal realiza.

O processo para declarar renda fixa é relativamente simples, especificamente se você não tem uma carteira variada. Contudo, mesmo para esses casos individuais, é importante atentar-se aos detalhes no preenchimento.

Precisa de mais informações sobre o imposto de renda? Acesse a página da Sua Previdência Privada para aprender como declarar outros tipos de investimentos!

About Author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *