Categoria: Previdência Privada

Home / Categoria: Previdência Privada

Alcançar a realização profissional é – ou deveria ser – um desejo comum a qualquer pessoa. Afinal, estamos falando da construção de uma carreira dos sonhos, na qual os objetivos traçados são atingidos.

É claro que essa não é uma conquista fácil. São inúmeros os desafios que podem aparecer e atrapalhar a concretização de uma meta como essa. No entanto, a recompensa da vitória supera todas as dificuldades do caminho.

Se você também acha a realização profissional relevante para a sua vida e está em busca desse objetivo, este artigo pode ser muito útil. Vamos abordar o conceito, sua importância e os passos para alcançá-la.

Siga acompanhando!

O que é realização profissional?

Realização profissional é se sentir realmente satisfeito e feliz com a sua carreira e ter a sensação de ter alcançado o ápice nela, o seu ponto mais alto. É fazer o que se tem prazer e ser bem-sucedido naquilo que escolheu.

Não significa necessariamente receber um salário alto, ainda que o reconhecimento financeiro também seja importante, mas sim acordar todos os dias disposto e animado com o ofício escolhido.

Realização profissional x realização pessoal

Muita gente costuma separar a realização profissional da pessoal. De fato, os conceitos são distintos. Enquanto a primeira diz respeito a uma satisfação com a carreira, a segunda fala do cumprimento dos objetivos na esfera particular.

No entanto, vamos combinar que, sem um equilíbrio, tanto uma quanto a outra são muito difíceis de serem atingidas. Isso porque elas estão intimamente ligadas entre si. Os problemas e as conquistas de um âmbito interferem no outro e vice-versa.

Assim, o segredo para as realizações, profissional e pessoal, está na harmonia. Se você não tem certeza se possui o que precisa para isso, fique tranquilo. Mais à frente, vamos trazer dicas que ajudam nesse sentido.

A importância da realização profissional

A realização profissional só traz benefícios. Além do sentimento de dever cumprido e autoestima elevada, ela pode oferecer outras vantagens, como:

  • Motivação para ir em busca da realização pessoal também
  • Melhora da qualidade de vida
  • Possibilidade de conquistar outros sonhos e buscar novos desafios
  • Diminuição de problemas de saúde ocupacionais
  • Confiança elevada para criar e inovar
  • Ser uma referência no seu segmento profissional

7 passos para a realização profissional

Agora que você já conhece os benefícios da realização profissional e o quanto ela é importante para qualquer pessoa, que tal ir em busca da sua? Com estes 7 passos, essa conquista se torna perfeitamente alcançável.

1. Trabalhe com algo que você ame

Se você não atua em uma área pela qual sinta prazer e admiração, é importante repensar a carreira. Isso porque dificilmente vai se sentir realizado em uma profissão que é encarada como mera formalidade, ou até como obrigação ou sacrifício diário.

Portanto, o primeiro passo para conquistar a satisfação na carreira é encontrar a sua verdadeira vocação. Nunca é tarde para isso.

2. Elabore um plano de carreira

Depois de encontrada a sua vocação, chegou a hora de você traçar um plano de carreira. Qual é o patamar mais alto que pretende atingir e qual é o caminho a ser trilhado para chegar lá. Essas são perguntas que devem ser feitas para a elaboração desse planejamento.

É importante que você seja racional na hora de traçar os objetivos. Crie metas alcançáveis, dentro de prazos possíveis, para que não seja vencido pela frustração de não ter conseguido.

3. Premie as suas conquistas

A cada passo que der, vale uma comemoração. E não estamos falando apenas de uma promoção ou um aumento salarial, mas também das pequenas conquistas.

Um trabalho bem reconhecido, um feedback positivo ou o sucesso de um projeto já valem uma celebração. Essa é uma maneira de trabalhar a sua autoestima e mostrar para si mesmo que você está no caminho certo.

4. Supere a zona de conforto

Em algum momento da sua carreira, a acomodação vai aparecer. Você estará satisfeito com a sua posição, talvez esteja com um salário suficiente para manter o seu padrão de vida, e tudo aparentemente vai estar bem.

Estamos falando da zona de conforto, um sentimento de inércia que nos afasta dos nossos objetivos. Quando se deparar com essa sensação, retome o seu plano de carreira, relembre quais são as próximas etapas e volte a assumir uma postura mais ativa.

5. Busque a melhoria contínua

Da mesma forma que no passo anterior, você nunca pode acreditar que já sabe o suficiente, que não há mais para onde crescer.

Busque, portanto, sistematicamente, a melhoria contínua. Estude, desenvolva outras habilidades, vá atrás de novos conhecimentos, troque saberes, ouça opiniões divergentes, reflita sobre elas e evolua. Faça desse processo um ciclo.

6. Invista na realização pessoal também

Conforme destacamos antes, realização profissional e realização pessoal estão intimamente ligadas. Portanto, para ter sucesso em sua carreira, vale a pena investir também em metas que dizem respeito à sua vida particular. Pode ser um novo hobby, uma viagem ou qualquer outro projeto que lhe traga satisfação.

7. Busque realização profissional mesmo depois de se aposentar

Atingir a realização profissional é alcançar um padrão de vida do qual você não gostaria de abrir mão depois de se aposentar, não é? E nem precisa. 

Se você começar a investir agora mesmo em um plano de previdência privada, seu conforto e sua segurança estarão garantidos, inclusive quando decidir parar de trabalhar.

Para saber tudo sobre essa modalidade de investimento, altamente rentável e sem nenhum tipo de complicação, conte com a Sua Previdência Privada. Em nosso blog, você tem acesso a um suporte especializado e pode tirar todas as suas dúvidas sobre essa aplicação.

Acesse os nossos conteúdos exclusivos e atinja a realização profissional mesmo após se aposentar.

Será que a aposentadoria nos fundos de previdência XP é atrativa? Para responder essa pergunta, você precisa conhecer a previdência privada da XP e analisar as opções para construir seu patrimônio e garantir renda na terceira idade.

A seguradora oferece diversos fundos previdenciários: VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) ou PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), com tributação regressiva ou progressiva e focados em ativos de renda fixa ou variável, por exemplo. Nos próximos tópicos, você vai avaliar  essas opções para investir com inteligência em  sua aposentadoria nos fundos de previdência XP.

Continue lendo este artigo e entenda a dinâmica desses investimentos de longo prazo

Aposentadoria com os fundos de previdência XP: vale a pena? 

Investir na aposentadoria com os fundos de previdência XP pode ser a solução para garantir uma boa renda no futuro e construir um patrimônio sólido. Os planos são oferecidos pela XP Seguros, braço de seguros e previdência do Grupo XP, que distribui mais de 120 fundos previdenciários e está ampliando seu portfólio para atender o crescimento da demanda.

Com a Reforma da Previdência de 2019 e as perspectivas de inversão da pirâmide etária no país, já não é seguro contar com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para se aposentar. O melhor caminho, então, é investir em um plano de previdência privada e administrar seu próprio dinheiro para a terceira idade. 

Para garantir sua aposentadoria nos fundos de previdência XP, basta escolher um plano, fazer a aplicação mínima e contribuir com aportes mensais durante a fase de acumulação. Lá na frente, você terá opções para resgatar seu dinheiro capitalizado ou recebê-lo em forma de renda vitalícia, por exemplo. 

É assim que funcionam os fundos previdenciários em geral, mas a XP também tem suas particularidades, como veremos a seguir. 

Como são os fundos de previdência da XP para a aposentadoria 

Os fundos de previdência da XP são bastante diversificados e contam com benefícios fiscais e taxas competitivas. Confira detalhes sobre os produtos para sua aposentadoria: 

Rentabilidade e gestão experiente

Os fundos de previdência da XP são administrados por gestores experientes, responsáveis por alocar ativos de forma inteligente, buscando a melhor rentabilidade para os investidores. Dessa forma, seu patrimônio fica em boas mãos, enquanto você só se preocupa em fazer as contribuições.

Benefícios fiscais

Como em todos os planos de previdência privada, os fundos da XP oferecem benefícios fiscais atrativos, tais como:

  • Ausência do come-cotas (antecipação obrigatória do IR [Imposto de Renda] cobrada em fundos de investimento);
  • Possibilidade de abatimento de até 12% das contribuições na base de cálculo do IR, para optantes dos planos PGBL; 
  • Opção de tributação pela tabela regressiva, que reduz alíquotas do IR conforme o tempo de aplicação, chegando a apenas 10% depois de 10 anos.

Taxas de administração competitivas

Ao aplicar seu dinheiro nos fundos de previdência XP, você paga apenas a taxa de administração dos planos, que variam entre 0,30% para os fundos mais simples e 2% para os de alta qualidade e complexidade na gestão. 

Taxa de carregamento zero

Os fundos da XP também são isentos de taxa de carregamento: um percentual cobrado sobre cada aporte ou retirada do plano de previdência privada. A seguradora optou por não cobrar taxas de entrada ou saída para tornar os investimentos mais atrativos. 

Portabilidade 100% digital

Outra característica dos fundos de previdência XP é a portabilidade 100% digital e sem burocracia. Todo o processo pode ser feito pela internet, com assinatura digital. 

Como investir nos fundos da XP para a aposentadoria

Garantir a tranquilidade na aposentadoria com os fundos de previdência da XP é uma opção interessante, desde que você saiba avaliar os planos. Veja como investir com inteligência:

Escolha corretamente a modalidade e tributação

O primeiro passo para investir na aposentadoria pelos fundos de previdência da XP é escolher qual modalidade é mais adequada (VGBL ou PGBL). A diferença entre os dois é a tributação, que incide sobre o capital total investido no PGBL (aportes + rentabilidade) e incide somente sobre a rentabilidade no VGBL. 

Além disso, o PGBL permite dedução dos aportes de até 12% na declaração do IR (e o VGBL,não). Depois, é preciso escolher o regime de tributação mais vantajoso: entre a tabela regressiva ou progressiva

Confira os fundos com melhor desempenho

A XP divulga listas com os fundos em destaque por desempenho, classificando os planos por categoria (multimercado e renda fixa, por exemplo), seguradora, aplicação mínima e  risco. Com esses rankings, você pode comparar a performance e as condições de cada previdência privada — lembrando que rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. 

Analise seu perfil de investidor

Antes de começar a investir na aposentadoria pelos fundos de previdência XP, é importante conhecer seu perfil de investidor, analisando critérios como tolerância ao risco e expectativas de retorno. Há opções de fundos para investidores conservadores, moderados e arrojados.

No detalhe de cada fundo, são informados   ativos da carteira (ex.: ações, commodities, câmbio e renda fixa), gestor responsável, objetivo de retorno e objetivo de rentabilidade.

Decidiu investir a nos fundos de previdência XP para garantir sua aposentadoria? Com as informações deste artigo, você já pode comparar os planos e tomar a melhor decisão para ter um futuro confortável.

O autoengano é uma armadilha mental que você cria para mentir para si mesmo diante de verdades incômodas. Embora você saiba que está se iludindo, essa prática se torna cada vez mais frequente e naturaliza a mentira como válvula de escape da realidade. 

O resultado é um comportamento esquivo, vitimista e de negação constante, que atrapalha o crescimento pessoal e profissional, dificulta as relações e impede realizações importantes na vida. Será que você tem praticado o autoengano sem perceber?

É o que vamos descobrir nos próximos tópicos.

O que é autoengano

Autoengano é o processo mental de mentir para si mesmo, como forma de evitar verdades inconvenientes e criar uma realidade ilusória. De acordo com Robert Trivers, considerado o pai da psicologia evolutiva e fundador da sociobiologia, os seres humanos evoluíram para acreditar em mentiras que os façam se sentir melhor e justifiquem suas atitudes.

Ele até dedicou um livro ao tema, intitulado The Folly of Fools (Basic Books, 2011), que explora a lógica por trás do autoengano e sua predominância na sociedade. A tese de Trivers é que as pessoas mentem para si mesmas e se alienam da verdade por duas principais razões: autodefesa e autoconfiança.

Do ponto de vista evolutivo, é vantajoso para o ser humano ter a capacidade de omitir informações de si mesmo e acreditar no que lhe convém. Dessa forma, é possível convencer mais facilmente os outros de suas convicções — por mais fantasiosas que sejam — e desenvolver uma autoconfiança mais sólida. 

Além disso, o autoengano é um recurso que utilizamos para aliviar o sofrimento e o trauma ao nos deparamos com verdades duras. De certa forma, é uma maneira de fugir da própria responsabilidade sobre os fatos e criar uma realidade mais confortável, em que a culpa dos problemas é sempre dos outros ou de um fator externo. 

Exemplos de autoengano

O autoengano está presente em várias atitudes do dia a dia, em menor ou maior grau. Confira alguns exemplos desse tipo de comportamento:

Acreditar que está fazendo o bem para o outro

Em muitas situações na vida pessoal e no trabalho, você terá que tomar medidas desagradáveis para os outros. Se você é dono de uma empresa e tem que demitir um colaborador para cortar custos, pode até tentar encontrar justificativas e cair em autoengano ao achar que está dando a chance de o funcionário buscar um lugar melhor, por exemplo. 

Mas, na prática, naquele momento, por mais difícil que seja aceitar os fatos como eles são, a verdade é que você precisou tomar uma medida difícil, que vai causar prejuízos imediatos ao outro. É melhor aceitar.

Negar sua própria patologia

Outro exemplo corriqueiro do autoengano, é o paciente que nega ser portador da doença até o fim, mesmo que isso lhe custe uma redução na expectativa de vida e agravamento dos sintomas. Apesar dos prejuízos evidentes à saúde, o impulso de acreditar na própria mentira e fingir que está tudo bem acaba se sobressaindo.

Não aceitar os próprios erros e defeitos

Um comportamento muito comum do processo de autoengano é não aceitar os próprios erros e defeitos. É o caso de profissionais que recebem um feedback negativo e culpam o superior pela avaliação injusta em vez de buscar aprimoramento, ou pessoas endividadas que não admitem sua responsabilidade pelo descontrole e negativação.  

Por que evitar o autoengano

O autoengano pode ser tentador quando lidamos com verdades inconvenientes, mas é preciso combater esse comportamento para não ter problemas maiores na vida.

Veja alguns motivos para se policiar. 

Leva ao vitimismo e infantilidade

O autoengano produz adultos infantilizados e vitimistas que fogem às responsabilidades e culpam o mundo pelos seus fracassos pessoais. É a famosa “cegueira” voluntária que impede de enxergar as verdadeiras razões para a frustração profissional, relacionamentos conturbados e falta de estabilidade, por exemplo. 

Atrasa a vida e o crescimento pessoal

Quando a pessoa prefere mentir para si mesma do que encarar a verdade, ela deixa de buscar seus objetivos, aprender com seus erros e aproveitar oportunidades de crescer. Logo, recorrer ao autoengano é como aprisionar-se em uma realidade fantasiosa e perder a chance de progredir na vida. 

Faz os problemas virarem uma bola de neve

Por fim, o hábito do autoengano transforma os problemas em uma bola de neve, já que são continuamente ignorados e negados. É o caso das pessoas que não aceitam o fim de um relacionamento e se tornam cada vez mais amargas e infelizes vivendo uma mentira, ou continuam negligenciando sua situação profissional enquanto ficam para trás no mercado de trabalho. 

Outro exemplo são as pessoas que não admitem o descontrole financeiro e acabam em situações graves de endividamento, com os juros se acumulando e multiplicando os débitos até se tornarem impagáveis. Ao superar o autoengano, você evita que os problemas se agravem, enfrenta os desafios e consegue lidar melhor com o lado negativo da vida — afinal, os obstáculos são inevitáveis e nada é exatamente como gostaríamos que fosse.

Entendeu por que é importante identificar e combater o autoengano? Agora você pode fazer uma autoanálise e se livrar dessas atitudes que atrapalham seu crescimento. 

motivação

A motivação pessoal é um aspecto importante da gestão financeira, pois nos encoraja a poupar dinheiro e construir patrimônio a longo prazo. Sem o estímulo adequado, é fácil se deixar levar pelos impulsos consumistas e perder o controle do orçamento.

Por natureza, somos mais propensos a buscar recompensas imediatas e pensar menos no futuro, mas é preciso superar essa tendência para ter sucesso financeiro. Para ajudá-lo nessa tarefa, vamos propor algumas fontes de motivação pessoal para você economizar e se preparar para o amanhã

Siga a leitura deste artigo e veja como é possível focar em seus objetivos: 

Falta motivação pessoal para pensar nas finanças?

Não é fácil ter motivação l para cuidar das finanças, principalmente quando temos outras preocupações e estímulos para seguir o caminho oposto. Além da falta de tempo para fazer os cálculos necessários, os impulsos consumistas costumam ganhar disparadamente da necessidade de poupar. 

Segundo pesquisa  pesquisa da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e do SPC Brasil, metade dos brasileiros tem como principal meta financeira guardar dinheiro em 2020, mas e 83% não conseguiram cumprir esse objetivo economia em 2019. De fato, controlar os gastos e ter disciplina com o dinheiro não é uma tarefa simples.

A explicação está no próprio cérebro, que busca recompensas imediatas no consumo e tem dificuldades em visualizar os benefícios de poupar para o futuro. Por isso, é preciso buscar fontes de motivação pessoal para economizar, e não apenas conhecer as técnicas de gestão financeira. 

Onde encontrar motivação pessoal para construir patrimônio

Se falta motivação pessoal para poupar dinheiro e construir seu patrimônio, é hora de criar estratégias para se engajar nessa missão.

Veja algumas sugestões:

Foque nos seus objetivos

O segredo para poupar dinheiro é se agarrar aos seus objetivos de longo prazo e pensar neles toda vez que estiver prestes a desistir. Por exemplo, se está economizando para comprar um imóvel, visualize você mesmo na casa dos seus sonhos e pense nos benefícios de abrir mão de um gasto hoje para atingir essa meta amanhã.

Se a imaginação não for suficiente, você pode usar representações visuais como imagens e vídeos inspiradores de casasou qualquer conteúdo que ajude a visualizar seu objetivo. 

Crie metas de investimento 

Outra forma de obter motivação  para construir patrimônio é criar metas de investimento para um determinado prazo. Por exemplo, você pode definir a meta de investir R$ 30 mil em cinco anos ou dividir em aportes de R$ 500 mensais para não tornar o objetivo muito intimidador — o que funcionar melhor para você. 

Nesse caso, a fonte de motivação pessoal será seu próprio progresso em direção às metas, acompanhando de perto o crescimento do seu patrimônio.

Procure apoio de pessoas próximas

O apoio de pessoas próximas é importante para tornar essa tarefa financeira menos solitária. Por isso, vale a pena compartilhar seus objetivos, investimentos e planos de vida com familiares e amigos. Eles podem reanimá-lo nos momentos mais difíceis do processo.

Previdência privada pode ajudar na motivação para o longo prazo

Investir na previdência privada é uma forma de impulsionar a motivação pessoal para economizar em longo prazo.

Confira alguns benefícios desse tipo de investimento:

Benefícios fiscais

Um dos principais diferenciais da previdência privada é o tratamento tributário diferenciado, que proporciona alguns benefícios fiscais ao investidor. Por exemplo, se você escolher uma previdência do tipo PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), poderá abater até 12% da base de cálculo do IR (Imposto de Renda) ao declarar o investimento. 

Outro exemplo é a opção da tributação pela tabela regressiva, que reduz as alíquotas do IR conforme o tempo de aplicação, chegando a apenas 10% após 10 anos de investimento.

Carteiras diversificadas

Outro ponto da previdência privada que favorece a motivação pessoal é a diversificação das carteiras dos fundos previdenciários. Há fundos de renda fixa para perfis mais conservadores, fundos multimercados com ativos de renda variável para perfis mais arrojados, além de opções que combinam ações, títulos públicos e câmbio, por exemplo. 

Dessa forma, você sempre terá uma opção de investimento com rentabilidade, risco e composição de ativos adequada ao seu perfil

Diversas formas de recebimento

Toda previdência privada inclui uma fase de acumulação, em que você pode fazer aportes na frequência e valor que desejar ,e outra fase de recebimento, quando o patrimônio acumulado pode ser resgatado ou recebido em forma de renda. Assim, você tem mais liberdade para decidir se quer receber uma renda mensal vitalícia corrigida ou fazer resgates periódicos e administrar seu próprio dinheiro. 

Viu como é possível encontrar motivação pessoal para construir patrimônio? Então, comece agora a economizar para garantir um futuro próspero e a sonhada independência financeira.

A aposentadoria da Brasilprev é uma das opções de investimento para complementar sua renda na terceira idade para você não depender do sistema público. Com um plano de previdência privada, é possível construir  patrimônio a  longo prazo e se preparar para ter mais qualidade de vida no futuro, além de realizar objetivos financeiros. 

Mas antes de investir em um fundo previdenciário, é importante conhecer os produtos do mercado para comparar seu desempenho. A seguir, você vai entender como funcionam os fundos de aposentadoria da Brasilprev para decidir se vale a pena optar pela seguradora do Banco do Brasil.

Leia este artigo até o fim antes de contratar seu plano de previdência complementar. 

Investir para a aposentadoria na Brasilprev: vale a pena? 

Investir para a aposentadoria na Brasilprev é uma opção para formar uma reserva financeira e garantir renda para a terceira idade. Assim como outras seguradoras, a empresa oferece fundos de previdência privada voltados exclusivamente para a construção de patrimônio a  longo prazo. 

O que difere esses fundos previdenciários de outros fundos de investimento é o tratamento tributário exclusivo e as regras para aportes e retiradas. Eles permitem que você faça contribuições no valor e periodicidade desejados durante a fase de acumulação e escolha como quer receber o dinheiro lá na frente, na fase de recebimento (em forma de renda vitalícia ou de resgate total, por exemplo). 

Além disso, os planos de previdência privada descomplicam a transmissão do patrimônio para herdeiros, pois não exigem  inventário, documento que descreve os bens deixados por alguém que faleceu. Para garantir sua aposentadoria na Brasilprev, basta escolher um dos fundos oferecidos, de acordo com seu perfil e investir com uma perspectiva de longo prazo — afinal, quanto maior o tempo de aplicação, melhor a rentabilidade e menores os custos.

Como são os fundos de previdência da Brasilprev

Os fundos de previdência da Brasilprev são divididos em três categorias principais: renda fixa, ciclos de vida e multimercado. Veja como funciona cada uma e exemplos dos fundos:

Fundos de renda fixa

Os fundos de renda fixa para aposentadoria da Brasilprev são indicados para investidores de perfil mais conservador, que não querem correr riscos e aceitam retornos menores para evitar volatilidade. Suas carteiras são compostas por títulos públicos e privados com leve flutuação no curto prazo, mas alto grau de segurança. 

Estes são alguns dos fundos dessa categoria oferecidos:

  • FIX:  busca superar as variações do CDI, combinando estratégias de títulos pós-fixados, prefixados ou vinculados a índices de inflação;
  • Concept: têm como proposta  obter prêmios em relação à inflação, por meio da alocação em títulos de renda fixa indexados ao IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo);
  • Premium: busca superar o CDI com base na evolução da Dívida Pública Federal.

Fundos Ciclos de Vida

Os fundos Ciclos de Vida da Brasilprev são recomendados para quem procura uma aplicação que se ajusta ao longo do tempo. Eles começam com mais presença na renda variável e, conforme se aproxima a data de saída, voltam a se concentrar na renda fixa para proteger o patrimônio acumulado. 

Por incluírem ativos de alta volatilidade no início, são recomendados para investidores de perfil moderado a arrojado. Um dos principais produtos dessa categoria é o Ciclo de Vida 2030, que busca rentabilidade pela combinação de estratégias em renda fixa, crédito privado, renda variável e investimentos no exterior, com ajuste automático do nível de risco para mais conservador próximo da data-alvo (data de saída do plano).

Fundos multimercado

Na categoria mais arrojada da Brasilprev estão os fundos multimercado, ideais para quem busca retornos maiores e sabe lidar com as variações do mercado. Para investir em aposentadoria na Brasilprev por essa modalidade, o investidor deve estar habituado às oscilações de ativos de renda variável como ações e câmbio. 

Estes são alguns dos fundos disponíveis:

  • Multimercado dinâmico: aplicações em renda fixa e até 20% de renda variável, com investimentos no exterior e variação cambial;
  • Multimercado dividendos: investimentos  em renda fixa e até 49% em ações de empresas com bom histórico de pagamento de dividendos.

Como investir na Brasilprev para a aposentadoria

Se você quer garantir sua aposentadoria na Brasilprev, basta ficar atento às condições dos planos e escolher o mais adequado para o seu perfil.

Confira algumas dicas para investir.

Escolha o tipo e a tributação correta

Assim como outros planos de previdência, os fundos de aposentadoria na Brasilprev podem ser do tipo VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) e PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), e também podem ser tributados pela tabela progressiva ou regressiva. Por isso, é importante conferir os detalhes de cada tipo de plano e tributação antes de escolher seu produto. 

Considere seu perfil de investidor

O seu perfil de investidor define sua tolerância ao risco e apetite por ganhos, e deve ser levado em conta na hora de escolher o plano de aposentadoria. Como vimos, há opções para investidores conservadores, moderados e arrojados, com diferentes proporções de ativos de renda fixa e variável. 

Calcule os custos

Por fim, é fundamental calcular os custos antes de decidir pela aposentadoria na Brasilprev. Na maioria dos fundos, a taxa de carregamento (porcentagem cobrada em aportes e retiradas) é zero, mas há taxas de administração que vão de 0,6% a 2%.

Por isso, calcule o impacto que essas taxas terão no seu rendimento, mais a alíquota do IR (Imposto de Renda), e só depois contrate seu plano de previdência privada. 

Entendeu como investir para a aposentadoria na Brasilprev? Então, compare os fundos com outras opções do mercado e tome a melhor decisão para o seu futuro. 

Alcançar a independência financeira é o sonho de muita gente. No entanto, deixar de trabalhar e viver apenas de renda é uma realidade ainda distante para algumas pessoas.

Seja pela falta de desenvolver hábitos financeiramente saudáveis, ou mesmo em razão da incapacidade de fazer o seu patrimônio render, a verdade é que esse objetivo pode acabar se perdendo em meio às nossas ações.

Neste artigo, vamos trazer dicas e apresentar erros que você não pode cometer se deseja conquistar a sua independência financeira. Continue lendo e fique mais próximo dessa meta!

O que é independência financeira?

Independência financeira, como o próprio nome já sugere, é viver sem ter a preocupação com suas economias. É não depender de um trabalho fixo para se sustentar durante um determinado período ou para o resto da sua vida.

É um conceito que está muito atrelado ao recebimento de uma grande quantia em dinheiro, verdadeiras fortunas, como quando alguém ganha na loteria ou é beneficiário de uma herança milionária, por exemplo.

No entanto, mesmo quem hoje tem um salário que considera baixo pode, no futuro, experimentar a independência financeira e manter um padrão de vida com conforto e qualidade. É o que vamos destacar na sequência.

Alcançar a independência financeira: mito ou realidade?

Sim, é possível alcançar a independência financeira de diferentes formas. Você não precisa necessariamente da sorte ou de berço para conquistar esse sonho. Se vai ser realidade ou mito, dependerá muito de suas ações. Mas é um caminho que qualquer um pode trilhar.

A independência financeira pode se tornar uma realidade com a aplicação correta e o bom rendimento dos seus investimentos, por exemplo. Ou seja, a autonomia econômica que tanto busca está mais em suas mãos do que você imagina.

É claro que, para tal, você vai precisar desenvolver uma relação mais saudável com o seu dinheiro e elencar algumas prioridades. Mas isso é assunto para ser tratado mais à frente.

Como atingir a independência financeira em quatro passos

Para mostrar o quanto a independência financeira pode ser uma realidade e não um mito, separamos quatro dicas para você conquistar a sua. Nada vem sem esforço, foco e disciplina. Mas é preciso começar para, o quanto antes, viver esse sonho.

1. Desenvolva hábitos financeiramente saudáveis

Se o seu sonho é alcançar a independência financeira, é bom começar a lidar com o seu dinheiro de uma forma mais saudável.

Saber exatamente qual é o seu orçamento mensal, quais são seus principais gastos, o percentual que pode ser usado para investimentos e o quanto você precisa para manter o seu padrão de vida são algumas práticas importantes de serem implementadas, se já não estiverem sendo.

2. Faça o seu dinheiro trabalhar por você

O grande segredo para conquistar a independência financeira sem depender da sorte é encontrar investimentos que ofereçam a rentabilidade necessária para que você não precise mais se preocupar com o trabalho para se sustentar.

Existem diversas modalidades de aplicações disponíveis no mercado. Renda fixa, renda variável, algumas mais seguras, outras menos. Para definir a sua carteira, você precisa levar em conta o seu perfil de investidor e considerar que a diversidade pode ser uma boa alternativa.

Sempre lembrando que, quanto mais cedo você começar a buscar oportunidades para alocar o seu patrimônio e fazer o dinheiro trabalhar a seu favor, mais próximo estará do objetivo.

3. Tenha uma reserva financeira

Mesmo com uma previsibilidade orçamentária, ninguém está imune a imprevistos, não é verdade? Por isso, outra dica importante para conquistar a sua independência financeira é ter uma reserva de emergência ao seu alcance.

Não se sabe o que pode acontecer no futuro e, já que o objetivo é viver do rendimento do seu patrimônio e dos seus investimentos, é prudente se resguardar e ter alternativas para caso algo não ocorra conforme o esperado.

Uma reserva financeira deve ter, no mínimo, o valor exigido para cobrir suas despesas por um período de seis meses. Então, faça as contas e conte com esse fundo para emergências.

4. Estabeleça metas claras e alcançáveis

Já sabemos que o seu objetivo principal é conquistar a independência financeira. Mas o que você pretende fazer com todo esse capital disponível?

Estabelecer metas claras e alcançáveis, porém desafiadoras, é fundamental para que o seu sonho maior se concretize, pois, assim, você vai ter mais determinação na hora de poupar o seu dinheiro e ir atrás do planejado.

Além disso, quando se estipulam prazos, é possível programar com mais precisão por quanto tempo o patrimônio disponível será suficiente.

Cinco erros que atrasam a independência financeira

As dicas que apresentamos representam o esforço básico que cada um precisa fazer para trilhar um caminho de sucesso rumo à independência financeira. Mas elas não serão tão eficientes como se espera se você repetir erros comuns nessa jornada. Preste atenção na lista do que você não deve fazer:

  1. Comprar por impulso ou sem qualquer necessidade
  2. Estabelecer um padrão de vida superior à sua realidade
  3. Deixar o pagamento de contas para após o vencimento
  4. Optar por aplicações financeiras que não se encaixam no seu perfil de investidor
  5. Ser tomado pela procrastinação financeira com o seu futuro.

Sua independência financeira na aposentadoria

A respeito desse último erro, é muito comum que as pessoas só comecem a pensar na aposentadoria quando estão mais próximas de parar de trabalhar. Mas isso não deve ser feito. 

Comece a planejar a sua independência financeira na aposentadoria agora mesmo. Com um plano de previdência privada, você garante a segurança e o conforto que tanto deseja.

Na Sua Previdência Privada, você conta com todo o suporte que necessita e pode tirar todas as suas dúvidas sobre essa modalidade de investimento, que é extremamente rentável e descomplicada.Confira nossos conteúdos exclusivos, não deixe para depois o planejamento da sua aposentadoria e assegure um futuro melhor para você e sua família.

Fazer planejamento financeiro para casal é um desafio ainda maior do que gerenciar o orçamento pessoal. Mas não precisa ser uma dor de cabeça. Com boa dose de organização e comprometimento, é possível otimizar as finanças a dois.

Entre as medidas essenciais, estão o mapeamento das despesas e receitas e a criação de objetivos individuais e conjuntos. Além disso, a percepção de como os hábitos financeiros impactam na vida do outro pode fazer uma grande diferença nessa organização.

Parece complicado? Você vai ver que não é tão difícil. Descubra o passo a passo simplificado para o planejamento financeiro para casal.

Planejamento financeiro para casal: por onde começar

Na sequência, confira dicas úteis para construir um planejamento financeiro para casal:

1. Integre o planejamento financeiro

Fazer o planejamento financeiro em conjunto é essencial para adquirir uma visão do orçamento do casal. Aqui a ideia é registrar a renda de cada um, despesas em conjunto relativas à casa e despesas individuais. 

A partir desse mapeamento, é possível avaliar o custo de vida, negociar dívidas (se houver) e fazer possíveis reduções e cortes no orçamento. Em outras palavras, o intuito é otimizar as finanças.

2. Defina responsabilidades

Também é importante definir responsabilidades em relação ao orçamento. Ou seja, estabelecer quem será responsável por determinadas contas.

Se ambos tiverem rendas semelhantes, a divisão igualitária é adequada. Mas nem sempre é o caso. Se houver disparidade no salário, é interessante que as contas mais altas fiquem com aquele que ganha mais.

3. Crie objetivos financeiros

No planejamento financeiro para casal, é fundamental estabelecer objetivos  — tanto pessoais quanto em conjunto. É o que afirma o consultor financeiro Gustavo Cerbasi, no livro Casais inteligentes enriquecem juntos (Editora Sextante, 2014).

“Conversar não resolve o problema se o tema dinheiro não estiver ligado ao assunto dos objetivos”, afirma o autor. Segundo ele, é necessário que ambos conheçam as metas e aspirações um do outro, para que conquistas futuras não se tornem frustrações para um dos lados. 

A dica, então, é definir os objetivos, sempre respeitando as metas de prazo mais longo.

4. Aprenda sobre gestão financeira

Em artigo para o site Investopedia, Marguerita Cheng, diretora executiva da Blue Ocean Global Wealth, afirma que a alfabetização financeira é essencial para que o casal entenda como suas crenças afetam as decisões financeiras e, consequentemente, os reflexos disso na vida um do outro.

“Quando você faz parte de um casal, a alfabetização financeira deve incluir planejamento financeiro pessoal, criação de orçamento, estabelecimento de metas e gerenciamento da dívida — não apenas porque é a coisa “certa” a ser feita, mas porque suas decisões afetarão seu parceiro”, destaca a autora.

Tecnologia para o planejamento financeiro do casal

Agora que você sabe como fazer o planejamento financeiro para casal, é hora de conhecer algumas ferramentas que tornam o processo mais fácil e rápido. A ideia é que ambos utilizem uma conta única nas plataformas para gerenciar o orçamento. Selecione a sua preferida e teste na rotina:

Organizze

A Organizze permite controlar o dinheiro em tempo real: gerenciar contas, definir metas por categorias, analisar relatórios financeiros, fazer conciliação bancária e controlar todos os cartões. Além disso, é possível definir alertas de contas a pagar e a receber. O app está disponível no Google Play e na App Store.

Minhas Economias

Outro gerenciador financeiro é o Minhas Economias, que permite controlar gastos e receitas, criar orçamentos e gerenciar cartões de créditos e investimentos. Uma funcionalidade interessante é o gerenciador de sonhos, que permite planejar objetivos financeiros.

A plataforma pode ser usada tanto no desktop, no computador, quanto por aplicativo, no dispositivo móvel.

Guiabolso

Com o app Guiabolso, você pode estimar renda e gastos mensais para controlar o orçamento, manter sob controle o planejamento financeiro para casal, agendar o pagamento de boletos e receber análises e dicas personalizadas sobre finanças. 

Um diferencial é que, por meio do aplicativo, também dá para contratar outros produtos financeiros da empresa, como empréstimos e investimentos.

Wisecash

Outra dica é o aplicativo Wisecash. Entre as funcionalidades, destacam-se cadastro de metas, acompanhamento de gastos e análise de relatórios e gráficos. O app está disponível no Google Play.

Previdência privada ajuda no planejamento financeiro do casal

No planejamento financeiro para casal, vale a pena considerar a contratação da previdência privada. Trata-se de um investimento de longo prazo que, na prática, funciona como uma alternativa à previdência social.

Para o casal, é uma modalidade interessante principalmente para a conquista de objetivos de longo prazo, já que o dinheiro aplicado em fundos fica rendendo por anos até ser resgatado com juros.

Mas aqui é preciso ter disciplina financeira. Como os aportes não são obrigatórios, cada um precisa definir o valor que pode direcionar para a previdência mensalmente e adotar essa conta como uma prioridade no orçamento.

A ideia é que cada um contrate o seu plano de previdência privada. E por que investir nessa aplicação? É que, na previdência privada, a gestão do investimento é feita por gestores profissionais da instituição financeira que oferece o plano. 

Então, você se preocupa em realizar os aportes, e a alocação dos recursos fica por conta desses gestores, que têm como objetivo adequar o investimento à rentabilidade desejada e à tolerância de risco do investidor.

No futuro, a vantagem é que os rendimentos podem ser usados tanto para concretizar sonhos em conjunto quanto para garantir renda extra para cada um.

E aí, foram úteis as dicas deste artigo? Ficou mais claro como fazer seu planejamento financeiro para casal? Compartilhe com o seu parceiro para colocar as medidas em prática.

Você, certamente, já ouviu alguém falar sobre a importância do conceito de envelhecimento ativo. E não é para menos: ele nos ajuda a pensar em expectativa de vida, saúde e bem-estar. 

Mas para que seja possível aproveitar os seus benefícios ao máximo, é importante se antecipar ao processo de envelhecer. Parece confuso? Ao longo deste artigo, explicamos melhor o que significa esse conceito, quais impactos positivos ele pode oferecer e de que maneira é possível praticá-lo. 

Siga acompanhando!

O que significa envelhecimento ativo?

O envelhecimento ativo pode ser definido como um conjunto de processos que vão na contramão do estereótipo do idoso frágil e inativo. 

Ele se refere à oportunidade de fazer parte da sociedade em termos econômicos, sociais, culturais, civis e espirituais. Ou seja, não se trata apenas de estar fisicamente ativo ou mesmo de ainda ser parte da força de trabalho.

O conceito ganha ainda mais sentido quando pensamos no futuro: de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa de vida no Brasil hoje é de 76,3 anos. Em 1940, era de 45,5 anos.

Observe que estamos vivendo por muito mais tempo do que no passado. A questão a se pensar é: como vai ser a sua vida no futuro, quando a idade avançada chegar? Será ativa, com qualidade e saúde? Ou com uma postura de dependência?

Qual é a importância do envelhecimento ativo?

Os números mostram que estamos vivendo mais, o que exige pensar em políticas que melhorem a qualidade de vida e o bem-estar na terceira idade. E é justamente por isso que o envelhecimento ativo é tão importante. 

Ele ajuda a pensar em estratégias para aumentar as expectativas de uma vida mais saudável durante o processo de envelhecer. Mais do que isso, busca oportunizar que as pessoas sejam capazes de perceber o seu potencial e promovam o próprio bem-estar social, físico e mental durante o curso da vida.

Outro aspecto essencial é permitir que a participação ativa aconteça com respeito às individualidades e limitações próprias da trajetória de cada um. Ao mesmo tempo, o envelhecimento ativo também é uma maneira de oferecer proteção e cuidado, tanto no aspecto individual quanto no coletivo. 

Seis benefícios do envelhecimento ativo

Precisa de mais razões para começar a pensar no seu futuro agora mesmo? Promover o envelhecimento ativo também significa dar espaço para benefícios como os seguintes:

  1. Aumenta a expectativa de vida
  2. Estimula a solidariedade e a interdependência entre as diferentes gerações 
  3. Garante que o processo de envelhecimento ofereça bem-estar
  4. Mantém a autonomia do indivíduo durante o seu processo de envelhecer
  5. Oferece mais energia e disposição física
  6. Fortalece a capacidade cognitiva.

Como promover o envelhecimento ativo?

Pensar em envelhecimento ativo é olhar, por exemplo, para quem está aposentado e pensar que essa pessoa pode seguir contribuindo de maneira atuante na vida dos seus familiares e da sua comunidade. 

Mas como desenvolver esse conceito no dia a dia? Confira as dicas que separamos para isso.

Pense no agora

Talvez você esteja pensando que ainda é jovem demais para falar em envelhecimento. Por outro lado, vale analisar que as ações tomadas desde já vão ter impacto direto na sua qualidade de vida no futuro. 

Portanto, priorize uma rotina mais saudável, que inclua uma alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos. Mas faça isso de uma forma que esses hábitos se transformem em uma parte prazerosa do seu dia.

Lembre-se de que não estamos falando de uma dieta que você segue durante algumas semanas e abandona quando atingir o resultado esperado ou porque se frustrou com a falta dele. O foco deve ser a sensação de bem-estar.

Desafie os seus limites

Tem algo que você sempre quis fazer mas nunca teve coragem? Não deixe para depois. Pode ser algo tão simples quanto iniciar um novo esporte ou mesmo desafiador quanto empreender. 

O importante é não se deixar acomodar e garantir que o seu cérebro esteja sempre ativo, pronto para viver experiências que incentivam a seguir em frente. 

Entenda o coletivo

Envelhecimento ativo pode ser um conceito individual, mas também é coletivo. Para que ele tenha real impacto, é importante multiplicar.

Então, ao mesmo tempo em que pensa no seu futuro, olhe para os seus avós e pense como você poderia ajudá-los a conquistar mais qualidade de vida e autonomia. Sentar perto deles e ouvir o que têm a dizer pode ser o primeiro passo para entender como agir. 

Participar ativamente da comunidade é outra estratégia importante, que ajuda a ampliar o exemplo que acabamos de dar e também permite que você construa o seu próprio caminho para um envelhecimento ativo.

Comece o envelhecimento ativo o quanto antes

Como deu para perceber, não é preciso ser estatisticamente considerado um idoso para começar a pensar nas práticas de envelhecimento ativo. Os cuidados com o seu futuro devem começar cedo. Por que não agora mesmo? 

E, por falar nisso, você já parou para pensar na sua aposentadoria? Investir em um plano de previdência privada pode ser uma forma descomplicada e atrativa de garantir mais segurança financeira.Quer mais dicas sobre o assunto e entender como fazer o seu dinheiro render? Fique de olho nos conteúdos exclusivos e descomplicados que publicamos aqui no blog da Sua Previdência Privada!

Se você olha para a fatura do cartão e só vê nomes de restaurantes e aplicativos de delivery, pode ser uma excelente hora para aprender como se alimentar bem gastando pouco. 

Afinal, não é só a saúde que sofre com a falta de uma alimentação mais equilibrada, mas também o seu bolso.

E se parece uma missão impossível encontrar o ponto de equilíbrio, fique com a gente. Neste artigo, separamos algumas dicas que vão ajudar você a chegar lá. Acompanhe!

Tem como se alimentar bem gastando pouco?

Sim, tem como se alimentar bem gastando pouco. Tudo depende da forma como você vai encarar essa meta. O primeiro passo é entender a necessidade de analisar e mudar velhos hábitos que são reproduzidos de maneira quase automática. 

Aliás, como vamos ver em detalhes mais adiante, sair do automático é um ponto-chave para fazer escolhas mais saudáveis quando o assunto é a sua alimentação. 

Quanto você gasta para se alimentar bem?

Gastar pouco é um conceito relativo, que depende de um aspecto principal: analisar o seu próprio orçamento. Gastar R$ 150,00 em uma refeição tem pesos diferentes para quem ganha R$ 1 mil e para quem ganha R$ 7 mil, por exemplo.

Então, é importante começar identificando qual percentual da sua renda é utilizado em tudo aquilo que tem a ver com alimentação. Contabilize os valores de supermercado, de padaria, de restaurantes e também com os serviços de entrega. Para ficar mais fácil, pode separar em categorias. 

Faça esse levantamento considerando os gastos dos últimos seis meses para ter uma média mais precisa e real. A partir daí, você já começa a descobrir como se alimentar bem gastando pouco.

A proposta é que passe a fazer substituições, trocando, por exemplo, os pedidos de delivery por uma refeição feita em casa e com alimentos orgânicos. Nessa simulação, você pode se surpreender ao verificar que não é preciso gastar nada além do que já gasta para se alimentar bem. Aceita o desafio?

Como se alimentar bem gastando pouco em seis passos

Tudo anotado? Hora de irmos para as dicas que vão ajudar você a transformar a rotina e a manter uma alimentação mais equilibrada e menos onerosa. Veja como se alimentar bem gastando pouco em seis passos: 

1. Defina um limite de gastos

Acabamos de falar sobre conhecer os seus gastos relacionados à alimentação, certo? Com base nesses números, é hora de definir alguns limites. Busque estabelecer o quanto você almeja gastar por mês com as categorias avaliadas, como supermercado, restaurante, padaria e delivery. 

O importante aqui é definir metas realistas, que realmente possam ser cumpridas, mas que ajudem a controlar os gastos.

2. Desenvolva o gosto por cozinhar

Para que o item anterior realmente possa ser cumprido, vamos começar por um hábito importante: se você não é um adepto de cozinhar as suas próprias refeições, é hora de se inspirar no Masterchef e ir para a cozinha. 

A propósito, programas de gastronomia como esse mostram que é possível fazer pratos elaborados, dignos dos mais renomados restaurantes, com ingredientes simples.  Ou seja, hora de despertar o chef que existe em você e testar algumas receitas

Quem sabe esse não se torne um novo hobby e você diminua o número de vezes que decide comer fora? Seria uma economia e tanto, sem dúvidas.

3. Evite ir ao supermercado com fome

Não tem nada capaz de aumentar mais os seus gastos com supermercado do que fazer compras com fome. Tudo parece indispensável e delicioso. 

Uma dica é reservar o horário posterior ao almoço para ir às compras ou se organizar para fazer um lanche antes. Isso vai ajudar você a manter o foco nos itens necessários da sua lista e evitar as guloseimas. 

4. Mantenha os armários abastecidos

Sabe aquela velha desculpa de que não tem nada em casa para comer? Ela leva você a tomar decisões ruins, como acabar no restaurante mais caro da cidade ou aproveitar aquela promoção “imperdível” do aplicativo de delivery.

Por isso, como parte do seu processo de aprender a apreciar uma refeição mais caseira, mantenha os armários sempre abastecidos com ingredientes versáteis. 

5. Adquira o hábito de ir à feira

Além de oferecerem bons preços, as feiras permitem que você tenha acesso a produtos mais naturais e saudáveis. É possível até mesmo investir nos orgânicos. 

Uma dica é coordenar as idas ao supermercado e à feira, para evitar gastos desnecessários ou a falta de ingredientes básicos para cozinhar. 

6. Não use a comida como recompensa

Uma mesa farta é o cenário ideal para reunir amigos e familiares para celebrar as suas conquistas. Aqui, o que você deve evitar é a banalização

Não deixe que a comida seja sempre a resposta para um dia ruim no trabalho ou para o relacionamento que não deu certo, por exemplo. Isso vai levar você a criar uma relação distorcida e pouco saudável com a alimentação. 

Construa um futuro melhor ao se alimentar bem

Já que tem como se alimentar bem gastando pouco, por que não começar agora mesmo? Garantir um futuro melhor para você e para a sua família exige fazer do planejamento um hábito. Comer bem, mas sem comprometer o orçamento, é apenas uma das ações necessárias para chegar lá. 

Quer garantir rentabilidade e segurança para o seu dinheiro? Então, também é fundamental planejar os seus investimentos e manter uma carteira diversificada. A previdência privada, por exemplo, é uma alternativa que ajuda a construir o seu patrimônio com muito mais controle financeiro e tranquilidade.Se você quer conhecer as vantagens de investir nessa opção, aproveite para acompanhar os conteúdos exclusivos do blog da Sua Previdência Privada!

Será que você é mais uma vítima do estresse financeiro? Especialmente em momentos de crise econômica, é comum perceber a manifestação dos sintomas dessa condição.

Afinal, pode ser difícil levar o dia com motivação e leveza quando você está preocupado com ameaças no trabalho, com as contas e dívidas que se acumulam ou mesmo com o retorno dos investimentos feitos. 

Então, como lidar com essa situação incômoda com mais sabedoria? Neste artigo, separamos dicas que podem ajudar você nesse desafio. Continue lendo e confira!

Estresse financeiro: o que é?

O estresse financeiro nada mais é do que uma reação do seu organismo diante da necessidade de lidar com aquelas situações que envolvem seu dinheiro e que exigem muito de si, tanto em termos mentais quanto emocionais.

Essa realidade faz com que o indivíduo se sinta constantemente ameaçado e incapaz de dar uma resposta adequada, o que prejudica tanto o âmbito pessoal quanto o profissional. E, como vamos ver na sequência, as razões que levam a isso são as mais variadas. 

O que causa o estresse financeiro?

Como já comentamos, momentos de crise econômica são bastante propícios para o desenvolvimento do estresse financeiro.

Isso porque, diante do cenário de retração da economia, tudo tende a ficar incerto. As empresas podem cogitar demissões, os investimentos já não rendem como o esperado, os preços aumentam e as dívidas se multiplicam. 

Outra possibilidade é a percepção de que o orçamento não dá mais conta do padrão de vida levado, o que pode exigir mudanças drásticas na rotina.

Todos esses são motivos que podem levar a quadros de ansiedade e inquietação com as finanças pessoais, especialmente diante da instabilidade e da consequente falta de controle que tanto preocupa e tira o sono.

Como o estresse financeiro se manifesta?

São vários os sinais que ajudam a identificar a presença do estresse financeiro, seja em maior, seja em menor grau. O constante nervosismo com o futuro e a tentativa de antecipar o amanhã é um deles – o famoso sofrimento por antecipação.

A irritabilidade tende a aumentar, e situações que antes eram encaradas com tranquilidade e normalidade agora se transformam em mais um motivo para conflitos, seja em casa, no trabalho, no trânsito ou em outros cenários. 

O estresse também se manifesta a partir de medos diversos. Por exemplo: de não conseguir dar o futuro que esperava para a família, de perder o emprego, de acabar cheio de dívidas e outros tantos. 

Você se identifica com alguns desses sinais? Se a resposta for positiva, tome cuidado.

Consequências do estresse financeiro

Não é difícil prever que o estresse financeiro pode impactar a vida de uma pessoa em diferentes níveis – em todos os casos, de forma negativa. Para ficar mais visível, separamos as consequências esperadas em três categorias: pessoal, profissional e para a empresa. 

Na vida pessoal

Além da dificuldade nas relações interpessoais, causada pela irritabilidade constante, os efeitos do estresse financeiro também aparecem na saúde física e mental. Mesmo cansado, dormir e relaxar se tornam práticas complexas, assim como encontrar prazer nas pequenas atividades da rotina.

Na vida profissional

Há quem passe a trabalhar em um ritmo acelerado, em busca de conseguir destaque no trabalho, enquanto outros se entregam e pouco conseguem render. 

Mas mesmo na primeira situação, a produtividade tende a ser baixa e a criatividade dá lugar ao automatismo. A dificuldade de concentração é outra consequência.

Para as empresas

Para as empresas, esse é um cenário que exige atenção. Colaboradores com quadro de estresse financeiro podem precisar de um apoio especial para vencer o momento difícil e voltar aos resultados e à produtividade de antes.

Uma conversa com o gestor, mostrando preocupação e solidariedade, pode ser de grande ajuda para a superação do momento. 

Como evitar o estresse financeiro?

Mas diante de tantas dificuldades possíveis, como evitar o estresse financeiro e garantir mais tranquilidade para o dia a dia? Confira as dicas a seguir. 

Mantenha o controle das finanças

Conhecer os números do seu orçamento é a melhor forma de evitar surpresas desagradáveis. Por isso, sempre separe um tempo para avaliar os seus gastos e entender também os resultados dos investimentos feitos. 

Ao fazer isso, você garante uma reação imediata no momento em que perceber qualquer tendência negativa, além de identificar oportunidades para melhorar os números e construir um patrimônio ainda mais sólido. 

Fale abertamente sobre os problemas financeiros

Você sente que o momento financeiro vivido não é dos melhores? Compartilhe os seus medos com alguém de confiança ou busque suporte profissional

Deixe que a sua família também conheça a realidade vivida. Assim, eles podem ajudar a fazer as mudanças necessárias para que as finanças não se tornem motivo de intensa preocupação e até mesmo de um quadro de estresse financeiro. 

Busque segurança financeira

Mais do que ter um emprego que oferece um bom salário, segurança financeira é sobre o patrimônio que você constrói ao longo da vida e como ele prepara o seu futuro

Já parou para pensar na aposentadoria, por exemplo? Para que esse período possa ser aproveitado com mais segurança, uma boa ideia é iniciar um plano de previdência privada o quanto antes. Além de rentabilidade, é possível contar com baixas taxas.Se você está na dúvida sobre essa modalidade, siga de olho nas nossas dicas aqui no blog da Sua Previdência Privada e faça as melhores escolhas!