Aposentadoria no Santander Previdência: como funciona e como investir

Home / Aposentadoria no Santander Previdência: como funciona e como investir

Quer saber se a aposentadoria no Santander Previdência vale a pena? Então, é importante analisar todas as características do investimento antes de contratar um plano.

Entre os pontos relevantes, você deve avaliar taxas e a alocação dos fundos de previdência. Dessa forma, fica mais fácil tomar uma decisão segura para garantir o seu futuro financeiro.

É justamente o que você vai encontrar aqui. Siga com a leitura, entenda como funciona a aposentadoria no Santander Previdência e o passo a passo para investir.

Santander Previdência para a aposentadoria: vale a pena? 

A aposentadoria no Santander funciona como um caminho alternativo à previdência social do INSS. Isso porque, na previdência privada, o investidor faz contribuições periódicas para o plano, e o dinheiro é aplicado em fundos de previdência que têm foco na rentabilidade em longo prazo.

Quanto mais tempo o dinheiro fica aplicado, maior é a rentabilidade do investimento  — graças à incidência dos juros que, nesse caso, trabalham ao seu favor. Outra vantagem é o fato de que mesmo investidores inexperientes podem contratar previdência, já que os gestores do Santander ficam responsáveis por alocar os recursos dos clientes.

Então, se você estiver mirando o longo prazo  — um investimento para a sua aposentadoria mesmo  — o Santander Previdência é uma alternativa que vale a pena.

Mas é importante observar as taxas antes de contratar um plano. O Santander Previdência não cobra taxa de carregamento, nem de entrada, nem de saída. Mas há cobrança de taxa de administração de 1% nos fundos de renda fixa.

Como são os fundos de previdência do Santander 

Um ponto de atenção são os fundos de previdência oferecidos pelo Santander. Cada fundo tem rentabilidade e riscos específicos, então, é preciso mapeá-los para entender a performance do investimento. Confira, na sequência, alguns dos fundos disponíveis:

Santander Prev Sábiya Multimercado FIC FI

Este fundo é indicado para investidores conservadores com visão de longo prazo e alguma tolerância à volatilidade vinculada à bolsa de valores. A composição da carteira tem predominância de ativos de renda fixa, mas também conta com um percentual pequeno em ações. Tem taxa de administração de 2% ao ano.

Santander Prev Tesouro IPCA Renda Fixa FIC FI

O fundo é ideal para investidores de perfil moderado, já que oferece algum risco, e busca um retorno diferenciado no médio e longo prazo. Tem taxa de administração de 1,2% ao ano e investe primordialmente em títulos do Tesouro vinculados à inflação.

Santander FIC FI Prev Perfil Moderado – Segmento Select

Este fundo também é indicado para perfil moderado. Tem taxa de administração de 1,2% ao ano e investe primordialmente em títulos do Tesouro. Boa parte do patrimônio se destina a títulos vinculados à Selic e um percentual bastante diminuto se concentra em ações.

Santander Prev Perfil Moderado – Segmento Van Gogh

Este é outro exemplo de fundo indicado para investidores de perfil moderado. Com taxa de administração de 1,2% ao ano, investe principalmente em títulos variados do Tesouro (boa parte atrelada à Selic) e mantém baixa volatilidade.

Como investir no Santander Previdência para a aposentadoria

Agora que você já conhece alguns fundos do Santander Previdência, fique atento ao passo a passo para investir e garantir uma aposentadoria mais confortável em termos financeiros:

1. Faça um planejamento financeiro

O investimento em previdência privada parte de um planejamento financeiro: a definição de um valor ou percentual da renda que você vai aplicar por mês. Então, é preciso mapear despesas e receitas para descobrir o montante ideal.

E, então, tenha em mente que a previdência requer disciplina financeira para fazer aportes. Como a contribuição não é obrigatória, você mesmo tem que considerá-la uma prioridade no orçamento.

2. Abra conta no Santander

Vale lembrar que a aposentadoria no Santander Previdência só é disponível para correntistas do banco. Se você ainda não tem conta, portanto, abra a sua em uma agência. Se já tem, a previdência pode ser contratada pelo aplicativo ou pela assessoria de investimentos na central de atendimento.

3. Defina plano e tributação

A definição das características da previdência é outro passo essencial. Existem dois planos disponíveis: PGBL e VGBL:

  • PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre): indicado para quem faz declaração completa de Imposto de Renda, o plano permite restituir até 12% de IR. No entanto, o imposto incide sobre o valor total.
  • VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre): indicado para quem faz declaração simplificada de IR, pois não permite restituição. O imposto incide somente sobre os rendimentos do período.

Outro fator que você deve escolher é o regime de tributação. Também são dois: regressivo e progressivo.

  • Regressivo: a alíquota de IR diminui conforme o tempo da aplicação, variando de 35% a 10%.
  • Progressivo: há cobrança de alíquota de 15% na fonte sobre o valor resgatado e cobrança de alíquota no resgate do investimento, variando entre 0 e 27,5%.

4. Faça uma simulação

O Santander disponibiliza um simulador de previdência que permite descobrir a rentabilidade do investimento conforme o valor que você pretende aplicar. É um passo recomendado para planejar o investimento.

5. Contrate o plano e comece a investir

Por fim, com todas as definições feitas, basta contratar o plano e iniciar os aportes. Quanto antes você fizer isso, maior será o tempo para que o seu dinheiro fique rendendo até a sua aposentadoria.

E aí, curtiu as dicas para fazer seus planos de aposentadoria no Santander Previdência? Compartilhe o artigo nas suas redes.

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.